PR João Lourenço não quer continuar a ter: “estudantes do ensino superior que não sabem escrever e nem falar”


3.7k partilhas

O Presidente da República João Lourenço exigiu nesta sexta-feira (12) de Junho, mais qualidade no ensino e considerou a formação do homem como uma aposta para breve de tal forma que “não continuemos a assistir ao triste cenário de termos estudantes do ensino superior, a concluirem o ensino superior, e que não sabem fazer uma redacção, não sabem escrever, não sabem falar”.

De acordo com João Lourenço que falava na cerimónia de posse do novo secretário de Estado para o Ensino Secundário, Gildo Matias José deve-se fazer um grande investimento nos ensinos primário e secundário, na perspectiva do país ter quadros bem formados.

Publicidade

“O nosso país aspira colocar as nossas universidades numa posição de destaque no ranking das universidades africanas e mundiais. Mas, para que isso seja possível, não podemos apostar apenas neste nível de ensino.

A aposta tem que começar nos níveis mais abaixo. Ou seja, temos que fazer um investimento grande no ensino primário e secundário, de tal forma que, num futuro que se espera para breve,, não continuemos a assistir ao triste cenário de termos estudantes do ensino superior, a concluirem o ensino superior, e que não sabem fazer uma redacção, não sabem escrever, não sabem falar. Este cenário tem que ser afastado da nossa realidade.

O nosso ensino tem que ser muito mais exigente do que é hoje. Só devem transitar para as classes superiores aqueles alunos ou estudantes que, de facto, mereçam. Não podemos facilitar”, disse o Presidente da República.

O Titular do Poder Executivo disse ainda que o homem tem que ser formado e que o país tem que ter a coragem de vencer o populismo e as correntes que defendem que todo o cidadão angolano pode ser doutor.

“O que se está a passar é que estamos a brincar com o futuro do nosso país. O futuro do nosso país não está no petróleo, não está nos diamantes, está no homem. O homem tem de ser formado e bem formado.

Temos que ter a coragem de vencer o populismo. Vencer aquelas correntes que defendem que todo o cidadão angolano pode ser doutor. Todo o cidadão angolano tem esse direito, mas não basta ter esse direito. É preciso que trabalhe, no sentido de se qualificar para poder atingir o nível superior”.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

3.7k partilhas

8 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. Acho que ouvir mais e falar menos leva -nos a cometer menos erros. O camarada presidente foi bem claro na sua abordagem dizendo que: Devemos fazer um grande investimento no ensino secundário para que não tenhamos estes problemas nas universidades! Ele não disse que temos que mudar a pronúncia ou sotaque mas sabermos falar, o grande exemplo disso foi o Dr Savimbi que não tinha um sotaque como de muitos deputados que só levantam as mãos! Mas ninguém ñ me vêm dizer que ele não sabia falar! Eu sou de acordo com o camarada presidente que deve se investir bastante na educação e sobretudo no ensino secundário para que não tenhamos os tais problemas.

  2. existem famílias de camadas baixas, que na qual são analfabetos e que falam mal devido o meio, então o estado Angolano deve primeiro termina com com esse problema muito elevado ainda no nosso pais de pessoas analfabetos, e terminar com a exploração de trabalho infantil…………..

  3. Basta ler alguns comentário aqui, para perceber que sim, o Sr. Presidente tem muita razão. QUE HORROR!

  4. Que tal adotar o sistema de notas do secundário como factor qualificativo para universidade como faz a África do Sul.

  5. Quanto é que tens disponibilizado no OGE o dinheiro para a Educação? Tinhas que ter vergonha, não foste feliz nesta sua abordagem.

  6. Ilustre Mário, sinceramente não consigo perceber o porquê da sua crítica, quando você é um daqueles que nem sabe escrever. Confunde o verbo comer com o começar.

  7. Como vamos resolver isso, se não temos quadros para tal, os “professores” falam mal alguns comento erros ortográficos.
    A menos que o estado comesse aproveitar os jovens que se formam fora, pois eles estão em Angola só que vão para as empresas privadas onde têm melhores condições.

  8. Depois de 4anos de governação Nacional,so agora está a ver por isso?Se o pais quando tinha guerra,vendia—se petróleo e estudantes se formavam pra onde estão estes?Desde 2010 até agora agora,mais de 10anos aonde estão os tais?4anos de governação vem com essa disculpas e pra resolver é com exoneração e nomeações pra politicamente paralhar o povo,aonde estão os quadros formados por bolsas na Rússia,Cuba,China,EUA,Portugal,Brasi etc.Procura a ser sincero com o povo e refletir na força que começaste o mandato.Todo isto é subterfúgio pra mostrar a causa e razões da desvalorização dos quadros angolanos.Tantas hipocrisia,mentiras!Desse jeito angola nunca será uma nação próspera.