Cabeça de bebé é arrancada por incidente durante parto


Um bebé teve a cabeça separada do corpo durante um procedimento de parto normal, no Hospital de  Santa Casa, Brasil. O caso é o segundo registrado na unidade em menos de cinco meses.


Em nota, o referido hospital alega que a gestante foi admitida em trabalho de parto prematuro, apresentando dilatação total do colo uterino, e que o óbito, apesar de trágico, era provável nas condições em que a jovem estava. O médico obstetra que fez o parto  mostrou-se indisponível para falar sobre o assunto.

O Conselho Regional de Medicina (CRM) brasileira, informou que serão abertos em tribunal dois casos para avaliar os dois incidentes separadamente. Ambas devem ser concluídas em 90 dias.

Publicidade

O pai da criança, Elder Jonatas Santos Silva, de 23 anos, contou à imprensa brasileira que a esposa, de 24 anos, estava gravida de 25 semanas e começou a sentir fortes dores durante a madrugada. Ela foi levada para a Santa Casa por indicação da médica ginecologista que acompanhou o pré-natal da gestante em uma clínica particular da cidade.

De acordo com Silva, na clínica foi feito um exame de ultrassonografia, que constatou que o bebê estava em posição pélvica (sentado). “Liguei para a ginecologista dela e na clínica eles viram que a criança estava sentada, ela então fez um encaminhamento junto com o ultrassom para que fossemos para a Santa Casa”, disse.

O jovem contou que mesmo após ver o exame, o médico da unidade disse que faria o parto normal. “Lá na Santa Casa, o médico viu o exame e mesmo assim falou que não faria cesárea. Ele não falou muito e começaram a induzir o parto da minha esposa”, contou.

O pai informou ainda que acompanhou o parto da criança, que foi puxada pelos pés durante o procedimento. Foi neste momento que, de acordo com Santos, a cabeça da criança separou-se do corpo.

No atestado de óbito do bebé consta que a menina já estava morta antes de nascer, o que é contestado pelo pai.

“Minha filha estava viva. Minha mulher, antes de fazer o parto, estava sentindo ela mexer.Se tivessem feito cesárea minha filha estaria viva”, lamentou o jovem. Ainda segundo o pai, a mãe da criança, Mariana Pereira de Araújo, teve que passar por outro procedimento cirúrgico para a retirada da cabeça da criança. Ela permanece internada na Santa Casa de Araguari.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *