Angolanos mostram-se preocupados com níveis altos de assaltos nas ruas de Luanda


1.7k partilhas

Depois da morte de um cidadão angolano nesta quinta-feira (14) de Novembro na sequência de um assalto à mão armada ao lado do Tribunal Dona Ana Joaquina, na Mutamba e na manhã desta sexta-feira (15), um outro cidadão também ter perdido a vida, nas mediações do Alvalade, nas redes sociais, vários angolanos mostraram-se agastados com o número crescente de assaltos a mão armada, contra homens e mulheres que deslocam-se aos bancos ou multicaixas, tendo apelado a policia nacional para redobrar as atenções nas ruas de Luanda. 

O número crescente de assaltos entre os tantos outros assuntos têm preocupado nos últimos meses a sociedade angolana, que defende que este mal merece um tratamento que produza resultados concretos e efetivos.

Nas redes sociais, internautas de vários pontos da cidade capital e não só, mostram-se preocupados com o rumo de alguns factos que têm acontecido nos últimos dias entre eles os assaltos tendo deste modo apelando policia nacional mais atenção nas ruas de Luanda, e principalmente aos cidadãos que fazem levantamentos de grande quantias nos bancos.

“A cada banco, devia ter um cofre de telemóveis para que todos os funcionários colocassem os seus aparelhos assim que chegassem ao local de serviço. Essas varias e constantes situações de assaltos a saídas de banco é maioritariamente a mando deles”, escreveu uma internauta.

Em outro comentário, um internauta acusa os funcionários dos bancos de trabalhar com os criminosos, e lideres de todos os assaltos.

“Sim. Para mim, os funcionários dos bancos são os maiores criminosos, líderes de todos os assaltos do gênero”, disse.

Por outro lado, um internauta realça que a Policia Nacional, na maioria destes casos deve fazer execução quando os meliantes são flagrados, porque os mesmos vão para cadeia mas que em pouco tempo são vistos a circular pelas ruas de Luanda.

“Os funcionários do banco e das empresas que fazem depósitos e levantamentos. E por outro lado a polícia nesses casos deve mesmo fazer execuções quando flagrados, porque esses indivíduos vão pra cadeia e em seguida os procuradores soltam e ai nasce mais um Herói de esquinas”, finalizou outro.

Os assaltos à saída dos bancos tornaram-se frequentes em Luanda. Nas últimas semanas, duas pessoas morreram depois de atendidos em duas agências do BFA, na Vila Alice e em Viana. A primeira vítima, um cidadão de nacionalidade maliana, foi morto com disparos de armas de fogo, quando saía de uma agência do BFA, situada na rua Eugénio de Castro, na Vila Alice. Os meliantes dispararam à queima-roupa e, depois de se apoderarem do dinheiro da vítima, colocaram-se em fuga para local incerto.

Já a segunda vítima, identificada pelo nome de Ana Rosa Damião, de 47 anos, foi alvejada com um tiro na cabeça, quando saía igualmente de uma agência do BFA, localizada nas imediações do Ginga Shopping, em Viana.

Um assalto à mão armada resultou hoje na morte de um cidadão de nacionalidade russa, o terceiro caso registado em Luanda, capital de Angola, em menos de 24 horas, na perseguição a pessoas que saíam de bancos.

Segundo a polícia, o caso ocorreu hoje na zona de Alvalade, distrito da Maianga, quando a vítima, de 51 anos, depois de sair do banco foi abordada por dois homens e alvejada mortalmente com três tiros.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

1.7k partilhas

Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. A POLICIA SO NAO APANHA OS BANDIDOS PORQUE NAO QUER. SE SAIEM DO BANCO 5/6 PESSOAS E OS BANDIDOS SÓ ATACAM AQUELE QUE LEVANTOU UMA SOMA ELEVADA DE DINHEIRO, NAO EXISTEM DUVIDAS QUE A INFORMAÇAO VEIO DE DENTRO DO BANCO. O SIC TEM PUDERES E COMPETENCIAS PARA JUNTO DA UNITEL/VODAFONE DE ESCUTAR AS CONVERSAS QUE OUVE NAQUELA HORA ENTRE AS PARTES…