Sector da Educação abre concurso público a partir da terceira semana de Novembro


O Ministério da Educação anunciou na última quinta-feira (28), que abrirá de 15 de Novembro à 10 de Dezembro um concurso público com vagas para mais de 7.500 novos professores que irão reforçar o sector nos próximos tempos.

Em uma nota do Ministério da Educação, citada pelo Jornal de Angola, refere que a realização do concurso público visa recrutar educadores de infância e professores para o ensino primário e secundário.

Publicidade

Os termos do concurso público obedecem às normas estabelecidas no despacho conjunto dos ministros das Finanças, Educação e da Administração do Território e demais legislação aplicável, explica a nota.

As inscrições dos candidatos iniciam oficialmente no dia 15 de Novembro a 10 de Dezembro de 2021

Requisitos gerais a que os candidatos deverão se submeter são:
Nacionalidade angolana, idade compreendida entre os 18 a 35 anos de idade, Ensino médio concluído nas escolas de Magistério (ou equivalente escolas de formação de professores EFP ou ex- IMNE), Licenciatura nos institutos superiores de Ciências da educação (ISCED) e/ou escolas superiores pedagógicas, Licenciatura em áreas técnicas para candidatos a professores de disciplinas técnicas no ensino médio.

As vagas abrangem as 18 províncias e estão distribuídas da seguinte forma: Bengo 294, Benguela 645, Bié 758, Cabinda 159, Cuando Cubango 452, Cuanza Norte 367, Cuanza Sul 280, Cunene 283, Huambo 276, Huíla 616, Luanda 250, Lunda Norte 392, Lunda Sul 540, Malanje 534, Moxico 361, Namibe 274, Uíge 860, Zaire 160

O concurso público de ingresso ao sector da Educação surge ao abrigo do Decreto Presidencial nº 102/11, de 23 de Maio, conjugado com o estatuído no Decreto Presidencial nº 160/18, de 3 de Julho, que aprova o Estatuto da Carreira dos Agentes da Educação.

 

Por: Sofia Adelino

 


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

2 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. Fecham só as escolas do Puniv porque já não está a prestar mais! Já que perdeu a qualidade,então o fim único é feixar estas instituicoes publicas.