ISUTEC coloca no mercado mais de cem licenciados


O Instituto Superior Politécnico de Ciências e Tecnologia (ISUTEC), ortougou um total de 181 licenciados em diversas áreas do saber, numa cerimónia que decorreu neste sábado, 17 de Julho, nas instalações do ENAAP (Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas), em Luanda.

A cerimónia teve início com a felicitação do Director da instituição aos estudantes e professores, destacando os discentes que formam-se por esforço próprio e conseguiram alcançar o tão almejado diploma.

Publicidade

Foram destacados como os melhores de seus cursos, os recém licenciados, Miguel Issenguele, Marcos Fundumuka, Augusto Francisco, José Agostinho, Joana Calei, ÉricaManuel e Eunice Chicato. Também foram homenageados alguns professores pelos trabalhos prestados à instituição.

De acordo com o Director Geral do ISUTEC, Bruno Farmouse, tiveram que diminuir o número de estudantes a serem outorgados, face as restrições que o país vive.

“É a nossa segunda cerimónia de outorga, a primeira tivemos cerca de 300 licenciados colocados no mercado, e hoje colocamos mais 181. A cerimónia de Outorga não significa que são apenas esse número de formados que estamos a colocar no mercado, mas são os alunos que estão a participar”, disse o director.

Os mais de 100 estudantes licenciaram-se nos cursos de Ciências Criminais, Logística, Direito, Gestão de Recursos Humanos, Contabilidade e finanças, Engenharia e Redes e Informática e outros.

Feliz pela conquista, Joana Maria Calei, uma das licenciadas e destacada como a melhor do curso de Ciências Criminais, frisou que agora começa uma nova luta em sua vida, a colocação no posto de emprego

“Esses anos todos de batalha dedico aos meus pais que incansavelmente fizeram de tudo para que realizasse o meu sonho, estou preparada para o mercado de trabalho, terminou uma luta e começa outra e bem mais longa que é mostrar aquilo que aprendemos e estar aqui disposta a ajudar a sociedade a crescer”, declarou.

Por sua vez, o presidente da Associação dos estudantes, Eduardo Pedrosa, falou da importância do momento para os recém licenciados e quanto estes acrescentarão o número de quadros angolanos.

“É um momento importante para a instituição e para os recém licenciados que vão acrescer no número de profissionais do mercado”, disse.