Comer peixe (e não só) pode reduzir o risco de cancro da mama


Estudo afirma que alimentos como frutos secos e vegetais podem ser muito úteis no combate a esta doença. Fazer algumas mudanças na alimentação pode ser muito benéfico para a saúde. Assim o confirma um novo estudo, onde se afirma que dietas ricas em ácidos gordos polinsaturados, podem reduzir o risco de cancro da mama.

O estudo recomenda alimentos como peixe, óleo vegetal, frutos secos (especialmente nozes) sementes e óleo de linhaça e vegetais de folhas escuras. São todos essenciais porque o corpo humano não produz, naturalmente, este tipo de ácidos gordos.

Para este estudo controlado, com base num hospital, feito em colaboração com a The North American Menopause Society, foram analisadas cerca 1,600 pessoas que participaram. Os investigadores analisaram a ligação entre o consumo destes ácidos gordos, em geral, e o cancro da mama, estudando também os efeitos que tem individualmente.

Além disto, para chegarem a uma resposta conclusiva, os investigadores também analisaram se esta ligação foi modificada por condições como menopausa, o funcionamento do receptor hormonal e a ingestão de ácido linoleico.

Segundo explica Chrisandra Shufelt, presidente da The North American Menopause Society, num comunicado, as mulheres conseguem reduzir o risco de vir a desenvolver o cancro da mama “fazendo mudanças na dieta para incluir frutas e vegetais, fibras e grãos integrais e evitando produtos de origem animal e laticínios com alto teor de gordura”.