NGA integra elenco que conta a história do hip hop português


Depois da paragem em 2020 e 2021, marcada pelo confinamento, devido à Covid-19, “A História do Hip-hop Tuga” volta a ser contada no palco do Altice Arena, em Lisboa, a 19 de Março, e o rapper angolano NGA foi convidado a testemunhar esta terceira edição, integrando um alinhamento de vozes composto por Black Company, Valete, Expensive Soul, Sam The Kid, Dealema, Bezegol, Capicua e Gabriel O Pensador.

O evento que teve a sua edição de estreia em 2017, tornou-se característico da cultura, e leva a história do Rap ao conhecimento do público, com Graffiti, Breakdance e Djing de Portugal.

Publicidade

Assim como NGA, Gabriel O Pensador aparece no espectáculo por ter ajudado a construir a “A História do Hip-hop Tuga”. Foi o rapper brasileiro que editou, no final de 1992, o disco de estreia que foi distribuído pela Sony em Portugal, sendo a primeira vez que tanto rappers como público conseguiram ver um trabalho de Rap a ser editado em português, influenciando a Sony a tomar a decisão de investir na colectânea ‘Rapública’.

Com início nos finais dos anos 80 e princípio de 90, em Cascais, “A História do Hip-hop Tuga” coloca agora em palco, no dia 19 de Março, todos os elementos da cultura. Para o djing estarão os DJ Nel Assassin, Bomberjack, Cruzfader, Glue e Kronic. Nos writers estão confirmados Nomen e YouthOne, dois dos pioneiros do graffiti em Portugal, bem como a  crew Crack Kids. O Breakdance estará representado pelos 12 Makakos, Zoo Gang, Gaiolin Roots e Momentum Crew.

Nascido em Luanda, Edson Wildbrand Silva, artisticamente conhecido por NGA apaixonou-se pelo Rap e pela cultura Hip Hop, ao ver vídeos na televisão de grupos como Black Company, que o motivou, juntamente com amigos a fundar o grupo Força Suprema, com o qual lançou o primeiro trabalho em 1998 e, desde então, tornaram-se num dos colectivos incontornáveis do hip-hop.

Depois do sucesso do trabalho do grupo, NGA consegue o destaque como um dos mais promissores MCs do panorama musical PALOP. Em 2012, lançou o seu primeiro álbum a solo intitulado “Filho Das Ruas”, que foi um sucesso em vendas, e não parou por aí. Em Abril de 2014, lançou o seu segundo disco “King”, que também foi um sucesso de vendas, com o qual, no ano seguinte viria a vencer o “Angola Music Awards”, conquistando três prémios.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário