Presidente do Burkina Faso abandona a presidência após golpe de Estado


O Presidente do Burkina Faso, Roch Kaboré, de 64 anos, viu-se obrigado a demitir-se do cargo nesta terça-feira, 25 de janeiro, depois que os militares daquele país revoltaram-se contra o Estado.

O país viveu uma situação tensa no domingo após tiros disparados em vários quartéis militares na capital,  em Ouahigouya e Kaya, incidentes descritos como o início de uma manifestação para exigir melhorias nas Forças Armadas tendo terminado em demissão.

Publicidade

De acorco com um artigo divulgado pela televisão RTB, o ex-Chefe de Estado dirigiu-se ao actual representante do país,  tenente-coronel Paul Henri Sandaogo Damiba, deixando publicamente o seu cargo à disposição.

“No interesse da nação, na sequência dos acontecimentos de domingo, decidi demitir-me das minhas funções de Presidente, chefe de governo e comandante supremo das Forças Armadas Nacionais. Deus abençoe o Burkina Faso, lê-se no artigo.

Vale recordar que Roch Kaboré governou o Burkina Faso por 7 anos, e que junto a demissão veio a confirmação do Golpe de Estado, tendo as tripas anunciado igualmente a anulação do Governo e Parlamento do mesmo modo a suspensão da Constituição da República.