Angola vai construir a primeira refinaria de ouro


O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, anunciou esta segunda-feira (27) de Junho, que o país vai construir a primeira refinaria de ouro, que vai custar 4,8 milhões de dólares, o  responsável justificou a obra com o fluxo de produção daquele metal.

Diamantino Azevedo esteve hoje presente no acto de lançamento da primeira pedra para a construção da primeira refinaria de ouro em Angola, no Polo Industrial de Viana.

O titular da pasta dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás sublinhou que a construção desta refinaria, com uma capacidade de produção prevista até 25 quilogramas por dia, é importante para o sub-sector de metais preciosos, sendo o ouro o principal produto a ser transformado nas futuras instalações da refinaria.

Segundo o ministro, desde 2019, Angola consta da lista de produtores e exportadores de ouro, com destaque para alguns projectos na província da Huíla.

Diamantino Azevedo salientou que, com vista a dar cumprimento às acções do executivo, o órgão ministerial que dirige orientou a Endiama, diamantífera estatal, através da Geoangol, para “encontrar mecanismos para a implementação deste importante empreendimento, que irá agregar valor ao segmento dos metais preciosos explorados no país”.

A refinaria, prosseguiu o ministro, vai trazer a possibilidade de transformar o metal bruto em solo nacional, cujo material refinado poderá ser usado internamente em vários sectores de economia, como é o caso da área de tecnologia, joalharia, mercado financeiro, entre outros, e/ou exportá-lo”.

“Por outro lado, com a implementação deste projecto, teremos criadas as reais condições para que o ouro produzido localmente tenha um padrão de excelência, seja aceite internacionalmente, podendo com este atingir o grau de pureza aceite nas diversas bolsas de valor, mercados e instituições financeiras”, destacou.

De acordo com o ministro, a refinaria deverá ter um laboratório com profissionais extremamente capacitados e merecer alto investimento em tecnologia, para que o metal a ser refinado tenha uma avaliação o mais apurada possível.

O projecto da refinaria divide-se em três segmentos, nomeadamente refinação, laboratório e contrastaria, prevendo-se que o início de produção aconteça em fevereiro de 2023.

A construção da refinaria, com duração prevista de 12 meses, conta com um investimento da Geoangol, uma unidade da Endiama que terá mais 83% das acções.

Em 2021 foram extraídas 1 137 onças, das 7 500 projectadas, representando uma execução de 13,82%, de acordo com dados do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás.

A primeira Refinaria de Ouro em Angola, que está ser erguida num espaço de 2 mil metros e 470 metros quadrados, vai produzir 25 quilogramas de ouro por dia e contará com laboratório, oficina, laminação, fundição eléctrica e gás, salas de monitoramento de vídeo, arquivo, cofre, entre outros compartimentos.

AR/Lusa