Covid-19: Governo reabre Cinemas, restaurantes aos finais de semanas e aumenta força de trabalho


O governo anunciou, esta quarta-feira, o alívio das medidas restritivas de prevenção e combate à Covid-19, com reabertura dos restaurantes aos fins de semana em Luanda e extensão de horários para várias actividades, uniformizando as regras em todo o território, no quadro da actualização do Decreto sobre o Estado de Calamidade Pública.

Entre as novas medidas incluídas na actualização do Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública, consta o aumento da força de trabalho, em Luanda, de 50 para 75 por cento, nos serviços públicos e privados.

Publicidade

Neste domínio, à excepção vai para as instituições de ensino, saúde, forças de defesa e ordem pública, comunicação social, energia e águas, portos e aeroportos, agências bancárias e serviços de recolha de resíduos sólidos, que deverão manter a força de trabalho a 100%.

Os restaurantes e similares, fechados ao fim de semana em Luanda desde 10 de maio, podem voltar a abrir, entre as 06:00 e as 22:00, com limite de quatro pessoas por mesa e sem criação de pistas de dança, sublinhou o ministro, assim como dos cinemas no mesmo período, sublinhou o ministro.

O comércio de bens e serviços vai funcionar das 07:00 às 20:00 em todo o país e é alargado o horário dos mercados e venda ambulante até às 18:00.

O ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida, as medidas visam estancar os casos positivos, por isso o país continua com as fronteiras nacionais sob cerca sanitária, para evitar a importação do vírus, mantendo-se obrigatória a realização de um teste pré-embarque RT-PCR e pós-desembarque (antigénio), que passa a ser comparticipado.

As medidas actualizadas da situação de calamidade pública, que vão vigorar entre 09 de julho e 07 de agosto, foram apresentadas, em Luanda, pelo ministro de Estado e chefe da Casa Civil do Presidente da República, Adão de Almeida.

Angola registou nas últimas 24 horas mais 116 casos de covid-19, cinco mortes e 28 pessoas recuperadas da doença, anunciou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

O país conta agora com um total de 39.491 casos desde o início da pandemia, dos quais 925 óbitos, 34.047 recuperados da doença, 4.519 ativos (incluindo 11 em estado crítico e 21 graves), encontrando-se ainda 87 doentes internados e 185 pessoas em quarentena institucional.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *