Atrasos salariais leva professores do ensino superior a optarem pela greve


A insatisfação por parte dos professores das instituições públicas do ensino superior está na base da greve que os referidos profissionais tencionam começar no próximo mês de Outubro, as declarações foram feitas pelo Secretário-geral do Sindicato dos Professores do Ensino Superior na conferência de imprensa realizada neste Domingo (17).

Atrasos salariais leva professores do ensino superior a optarem pela greve

Em nome dos professores que tencionam paralisar as aulas no mês já mencionado, caso não recebam a remuneração referente ao mês de Julho e Agosto do corrente ano, Eduardo Peres Alberto que falava pelo referido sindicato manifestou o descontentamento que o consome não só por estarem há 2 meses sem salários, mas também pelo facto de não beneficiarem dos seus subsídios desde 2011.

A situação retratada não afecta somente os docentes, segundo fez entender o responsável do sindicato em questão, até os outros funcionários das instituições do ensino superior a nível do país também vivem o mesmo drama e consequentemente clamam pela intervenção do Governo e do Ministério das Finanças.

Em defesa, Eduardo Peres Alberto realçou que o cenário vivenciado viola os direitos dos trabalhadores docentes e não docentes.

“De facto não descartamos uma greve para o próximo mês de Outubro, porque o que nós queremos é ver todas as nossas reivindicações, que têm respaldo legal, resolvidas na medida em que os docentes estão cansados pela arbitrariedade que são retirados os subsídios e como temos sido tratados”, disse Eduardo Alberto.

A greve de 2013 foi interpolada, mas desta vez “garantimos que não será”.

 

 

 

 

 

 

 

Por: Garcia Alberto


Gostou? Partilhe com os teus amigos!