Paulo Flores homenageado pela Academia Angolana de Letras


Em dia que se comemora a festa da “Dipanda”, o músico  e compositor Paulo Flores foi homenageado, em Luanda, pela Academia Angolana de Letras (AAL), em reconhecimento do seu contributo prestado à música nacional.

Paulo Flores é um dos expoentes máximos do Semba, e um dos mais versáteis artistas nacionais do período pós-independência.

Publicidade

No seu Instagram, o artista agradeceu o gesto e reiterou ser bom ver as suas letras e canções serem reconhecidas por homens e mulheres dotados na escrita.

“E eu agradeço as palavras de Pepetela e seus confrades, bom ver as minhas poesias e narrativas, reconhecidas pelos homens e mulheres da escrita”, narrou Paulo Flores.

A propósito, o músico explicou  em uma conversa à Angop que as suas vivências entre Luanda e Lisboa foram as suas principais inspirações para a música. Porém na altura, não tinha noção do que cantava, mas hoje pode ver o impacto que as suas músicas têm na vida das pessoas.

“Quando comecei a cantar tinha entre 16 ou 17 anos e na época cantava apenas por cantar. Via as coisas e escrevia, outras foram criadas no momento. Não tinha noção do que cantava. Hoje vejo e entendo as mensagens que as minhas músicas carregavam”, disse.

Em relação ao seu novo álbum, “Independência”, Paulo Flores disse que o mesmo surge da generosidade que foi encontrado pelo caminho e as vivências quando vinha ao país, de férias. O artista explicou  também que o novo disco já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Paulo Flores é um dos nomes sonantes da música popular de Angola, e “embaixador” do semba no mundo. É respeitado por várias gerações de músicos angolanos, graças aos vários êxitos que coleccionou ao longo de mais de 30 anos de carreira.

Autor, compositor e intérprete, cujas canções tratam temas diversos da vida quotidiana dos angolanos, lançou o seu primeiro álbum em 1988. Com 16 álbuns no mercado, Paulo Flores é uma das principais referências da música de Angola e um defensor incansável do estilo semba. A sua voz inspira-se na tradição urbana de Luanda e a sua música conta histórias de ontem, de hoje e de amanhã.

Vencedor do Top dos Mais Queridos de 2010, Paulo Flores é autor de vários sucessos da música angolana, com realce para “Reencontro”, “Inocente”, “Makalakato”, “Coração Farrapo” e “Coisas da terra”.

Por: Sofia Adelino