Petro de Luanda ‘ameaça’ não ceder atletas para o CHAN


A direcção do Petro Atlético de Luanda ameaça não ceder jogadores à Selecção Nacional de Futebol para o CHAN de Janeiro do próximo ano, a ter lugar na Argélia, caso a Federação Angolana de Futebol não validar a inscrição de Depú.

Foto: Site do Petro Atlético de Luanda

Segundo o presidente do clube, Tomás Faria, que falou recentemente em conferência de imprensa para esclarecer o comunicado oficial do clube sobre o protesto contra a FAF feito no final do jogo da Supertaça de Angola 2022.

“E, porque as pessoas querem que a gente antecipe algumas decisões, é bom que fique claro que se a inscrição do Depú não for validada, a FAF, o máximo que terá que fazer é não convocar nenhum dos nossos atletas para o CHAN. Não vai ninguém em solidariedade ao Depú”, disse Tomás Faria.

As afirmações do dirigente desportivo surgem momentos após contratar o atacante de 22 anos e este ver-se quase impedido de ter a inscrição validada na Federação Angolana de Futebol, por causa de um processo litigioso existente com o seu antigo clube, Sagrada Esperança.

Recorde-se que no final do jogo da Supertaça de Angola 2022, conquistada pelo Desportivo da Huíla, os “tricolores” recusaram-se em participar da cerimónia de entrega das medalhas em protesto contra a FAF.