Ex-jogador Samuel Eto’o admite culpa e é condenado por fraude fiscal na Espanha


O ex-jogador Camaronês, Samuel Eto’o, foi condenado a 22 meses de prisão por quatro crimes de fraude fiscal na Espanha nesta segunda-feira, 20 de Junho. Eto’o não será mantido “atrás das grades”, pois, é acusado de declarar indevidamente 3,8 milhões de euros (equivalente à 1.332.480 milhão de kwanzas), oriundos de operações sobre os direitos de imagem do mesmo para a marca Puma e o Barcelona, entre os anos de 2006 e 2009.

Nas suas mais recentes declarações durante audiência em Barcelona, o ex-jogador de 41 anos, admitiu a infracção, mas responsabilizou o seu antigo representante, José María Mesalles, a quem identificou como ‘um segundo pai’, pelo erro.

“Reconheço os factos e vou pagar, mas quero que conste que eu era um jovem e sempre fiz o que meu pai me pedia para fazer”, ressaltou o camaronês que de acordo ao Ministério Público, o ex-atacante devia ter declarado o valor em seu imposto de renda pessoal, mas o fez por meio de duas empresas, dando início a um julgamento que se estendeu por anos.

Mesalles por sua vez, preferiu não depor antes de admitir os factos. O administrador de uma das empresas usadas na fraude, Jesus Lastre, foi absolvido.

Samuel  Eto’o, que actualmente preside a Federação dos Camarões, terá de pagar quatro multas com valor total de 1,8 milhões de euros (cerca de 456 milhões de kwanzas). Já José María Mesalles, terá de pagar o mesmo número de multas, mas no total de 905 mil euros (cerca de 413 milhões de kwanzas).