Unitel recebe licença para serviços financeiros do BNA


O Banco Nacional de Angola (BNA) atribuiu uma licença de Prestador de Serviços de Pagamentos à Unitel Serviços Financeiros Móveis (SU), S.A., a pedido desta operadora.

A atribuição desta licença vai ao encontro de uma das acções prioritárias do Plano Nacional de Inclusão Financeira, que passa por garantir à população, um maior acesso à rede de serviços financeiros.

Publicidade

Depois do lançamento das contas Bankita e das contas simplificadas, diz a nota, o BNA dá mais um passo, visando incrementar o número de cidadãos com acesso a serviços financeiros básicos para o equivalente a 50% da população adulta, até finais de 2022.

Em nota enviada ao AngoRussia, a Unitel justifica que a atribuição desta licença é a conclusão de um processo submetido em Julho do ano corrente, onde todos os preceitos exigidos foram cumpridos, e será um contributo relevante em complementar o ecossistema financeiro de forma marcante, usando o Mobile Money para alargar a inclusão financeira das populações que hoje não
acederam ainda aos serviços, ou pelas barreiras inerentes ao mundo financeiro ou por resultado das distâncias geográficas.

O Mobile Money é um sistema de pagamentos com recurso ao telefone móvel, suportado por uma rede de agentes autorizados, que no início permitirá que os usuários registados efectuem depósitos em carteiras virtuais e usem os valores para transferências ou em pagamentos e compras. O serviço terá um desenvolvimento para que o ecossistema seja alargado para serviços de pagamentos instantâneos entre telefones, como hoje os cartões financeiros conseguem com acesso a terminais de pagamentos automáticos (TPA). Tendo uma carteira electrónica, o sistema irá ajudar
outros serviços digitais desenvolvidos por entidades locais, que poderão aceder à plataforma por via API (interface de programação de aplicações).

Em África, este sistema de transferências móveis tem estado em franco crescimento, impulsionado pela aposta na transformação digital, sendo que em vários países da África Subsaariana está a ser o modo preferencial de pagamentos, devido à COVID-19.

Em 2019, 200 milhões de usuários fizeram mais de 24 mil milhões de transacções por via do Mobile Money em África, o que corresponde a mais de 64 % dos movimentos feitos por este serviço em todo o mundo.

A nova lei do sistema de pagamentos, explica o BNA, propiciará a entrada de novos tipos de instituições financeiras (fintechs), assim como o Laboratório de Inovação do Sistema de Pagamentos (www.lispa.ao).


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *