Plataforma “Digital.ao” é criada para fomento dos negócios da juventude


Os jovens angolanos com ideias tecnológicas inovadoras, capazes de gerar um negócio, passam a dispor, a partir desta terça-feira 18 de Janeiro, de uma instituição pública, onde passarão a receber apoio até que as mesmas se tornem em empresas.

A instituição denominada “Digital.ao” vai ser inaugurada, esta terça-feira, no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda, nas proximidades do Instituto de Telecomunicações (ITL).

Publicidade

“Qualquer angolano que tenha ideia tecnológica que possa gerar algum negócio está convidado a vir para o Digital.ao, a fim de fazer a  entrevista”, esclareceu, André Pedro, director-geral do Instituto Nacional de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI), instituição que agrega o conceito, ao Jornal de Angola.

André Pedro disse que a instituição está capacitada para receber, em simultâneo, até 25 startups, para um período de dois anos e referiu que o projecto só é liberado depois de ganhar maturidade para se afirmar como empresa no mercado.

Além de funcionar como uma incubadora, a plataforma dispõe, também, de serviços nas áreas de registo de domínio ao, fabricação de software, hospedagem de páginas Web e correio corporativo, reparação de equipamentos, formação técnica, laboratório de TI, certificação internacional, mentoria, acompanhamento de startups e e-learning, curso de fusão de fibras ópticas e de reparação de computadores.

André Pedro ressaltou que, antes, a sociedade de informação confrontava-se com muitos entraves para a compra de um domínio (ao), situação que assegurou estar, agora, ultrapassada, porque o Digital.ao constitui, uma plataforma electrónica, onde qualquer cidadão da sociedade de informação terá a possibilidade de adquirir serviços disponíveis no Data Center do Governo, como o domínio ao, e-mail corporativo, hospedagem de páginas Web, desenvolvimento de páginas Web e outros.

O responsável recordou que, no passado, pagava-se um valor exorbitante para se ter um domínio ao, mas, hoje, o mesmo custa oito mil Kwanzas anuais. “Deve ser das taxas mais baratas do mundo”, vaticinou.

Com a chegada do Digital.ao, os cidadãos passam a ter a possibilidade de alugar um servidor no Data Center do Governo, para disponibilizar serviços da sua empresa. Sobre isto, disse haver hospedagem a 19 mil Kwanzas.

“Há, um conjunto de serviços que o Digital.ao vai potenciar, mas, fundamentalmente, a questão da geração do auto-emprego”, realçou, apontando que é ainda uma forma de promover a inclusão tecnológica do angolano.

O responsável fez saber ainda que muita gente desconhecia, por exemplo, onde se dirigir para comprar um domínio ao, um email corporativo ou uma solução tecnológica para dar suporte ao serviço que presta.

“Víamos as páginas .com, por exemplo. O .com é um domínio universal. Ninguém sabe se é português, angolano ou nigeriano. Agora, passaremos a ter uma maior identidade digital a nível da Web”.