Plataforma “Digital.ao” é criada para fomento dos negócios da juventude


Os jovens angolanos com ideias tecnológicas inovadoras, capazes de gerar um negócio, passam a dispor, a partir desta terça-feira 18 de Janeiro, de uma instituição pública, onde passarão a receber apoio até que as mesmas se tornem em empresas.

A instituição denominada “Digital.ao” vai ser inaugurada, esta terça-feira, no Distrito Urbano do Rangel, em Luanda, nas proximidades do Instituto de Telecomunicações (ITL).

Publicidade

“Qualquer angolano que tenha ideia tecnológica que possa gerar algum negócio está convidado a vir para o Digital.ao, a fim de fazer a  entrevista”, esclareceu, André Pedro, director-geral do Instituto Nacional de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI), instituição que agrega o conceito, ao Jornal de Angola.

André Pedro disse que a instituição está capacitada para receber, em simultâneo, até 25 startups, para um período de dois anos e referiu que o projecto só é liberado depois de ganhar maturidade para se afirmar como empresa no mercado.

Além de funcionar como uma incubadora, a plataforma dispõe, também, de serviços nas áreas de registo de domínio ao, fabricação de software, hospedagem de páginas Web e correio corporativo, reparação de equipamentos, formação técnica, laboratório de TI, certificação internacional, mentoria, acompanhamento de startups e e-learning, curso de fusão de fibras ópticas e de reparação de computadores.

André Pedro ressaltou que, antes, a sociedade de informação confrontava-se com muitos entraves para a compra de um domínio (ao), situação que assegurou estar, agora, ultrapassada, porque o Digital.ao constitui, uma plataforma electrónica, onde qualquer cidadão da sociedade de informação terá a possibilidade de adquirir serviços disponíveis no Data Center do Governo, como o domínio ao, e-mail corporativo, hospedagem de páginas Web, desenvolvimento de páginas Web e outros.

O responsável recordou que, no passado, pagava-se um valor exorbitante para se ter um domínio ao, mas, hoje, o mesmo custa oito mil Kwanzas anuais. “Deve ser das taxas mais baratas do mundo”, vaticinou.

Com a chegada do Digital.ao, os cidadãos passam a ter a possibilidade de alugar um servidor no Data Center do Governo, para disponibilizar serviços da sua empresa. Sobre isto, disse haver hospedagem a 19 mil Kwanzas.

“Há, um conjunto de serviços que o Digital.ao vai potenciar, mas, fundamentalmente, a questão da geração do auto-emprego”, realçou, apontando que é ainda uma forma de promover a inclusão tecnológica do angolano.