Huawei responde questões da imprensa mundial após o resultado de negócios do 1º semestre de 2021


A gigante chinesa “Huawei”, divulgou os Resultados de Negócios do 1º Semestre de 2021 na passada sexta-feira (06) de Agosto, que mostra a diminuição na receita dos seus negócios, e oportunamente aproveitou para responder algumasquestões mais frequentes feitas pela imprensa a nível mundial.

Em uma nota enviada ao AngoRussia, a Huawei afirma que a queda da receita no primeiro semestre de 2021 foi em grande parte devido ao seu negócio de consumo, e que a decisão injustificada dos EUA de sancionar três vezes a Huawei afectou directamente os seus negócios de consumo, em especial o segmento de smartphones, sendo a venda da marca Honor outro motivo que fez com que a receita fosse mais reduzida.

Publicidade

A empresa mencionou ainda que construiu um mecanismo para a gestão de continuidade de negócios a nível global, e um sistema veloz de gestão de operações para conseguir atingir a sua meta de receita anual, e garante estar seguro de que poderá cumprir esta meta fazendo o seu melhor para continuamente criar valor para os seus clientes.

A Huawei sempre almejou operações globais e forneceu continuamente os melhores serviços para mercados e clientes possíveis que a escolheram.

“Os nossos planos de recursos humanos foram sempre orientados por nossas necessidades de negócios e estamos comprometidos em investir em P&D. Em cada um dos últimos três anos, investimos consistentemente quase 15% da nossa receita anual em P&D. Avançando, continuaremos a investir ainda mais. Não haverá grandes mudanças no nosso misto de talentos em P&D. Podemos aumentar o investimento em campos específicos de P&D para atender ao necessidades de negócios. Damos como boas-vindas a qualquer pessoa interessada nesses campos, para que se junte a nós.”, disse.

A empresa proferiu também que as razões que levaram o crescimento do seu negócio empresarial no 1º semestre, foi o maior alcance de negócios de operadoras fora da China que cresceu de forma constante, enquanto que na China foram afectados por atrasos na implementação da rede 5G. Este crescimento fora da China foi  em função dos seguintes motivos:

“Primeiro, a digitalização está a ganhar um ritmo acelerado em todo o mundo, com as indústrias a investir cada vez mais nas suas próprias transformações digitais. Este é um grande mercado para a Huawei. Em segundo lugar, os nossos produtos e soluções são exclusivamente adequados para atender às necessidades dos clientes industriais. O nosso HUAWEI CLOUD, redes IP inteligentes, Rede OptiX inteligente, computação, data centers, armazenamento de dados, produtos e soluções 5GtoB criam um grande valor para estes e trabalhamos em estreita colaboração com uma ampla gama de parceiros para desenvolver soluções baseadas em cenários que combinam as nossas tecnologias TIC e cenários da indústria. Para este fim, continuamos a concentrar-
nos nas principais indústrias e investimentos em cidades inteligentes, finanças, transporte, energia, manufacturação e educação.”

A Huawei garantiu ainda que com a implementação da rede 5G, o negócio continuará a crescer de forma constante nos próximos seis meses, graças aos projectos 5G da China Mobile e China Broadcasting Network, bem como pelo lançamento da rede 5G da China Telecom e China Unicom, e promete compensar o impacto do declínio nas vendas de telefones no segundo semestre com a estratégia Seamless AI Life.

“Desde o lançamento do HarmonyOS 2 no primeniro semestre, mais de 50 milhões de usuários aderiram ao Harmony. O HarmonyOS 2 permite que os consumidores tenham acesso aos poderosos “superdispositivos” através de todos os dispositivos e cenários. O nosso OS tem o que é para necessário oferecer experiências inteligentes em todos os cenários. A indústria como um todo está a depositar a sua atenção nas enormes oportunidades de negócios e no valor que a IoT está a criar. Futuramente, tencionamos continuar a trabalhar com parceiros da indústria em todo o mundo para desenvolver aplicativos inovadores dessas tecnologias essenciais e, desenvolver ainda mais o nosso ecossistema de aplicativos. É deste modo que iremos fornecer experiências inteligentes de ainda maior qualidade aos nossos clientes em todos os cenários e, criar maior valor para os mesmos e para a indústria em geral. Estamos confiantes de que a Huawei continuar a sobreviver e a prosperar”, exprimiu a empresa.

E por fim, manifestou que os lucros da venda da Honor não foram incluídos nos seus resultados de negócios no 1º semestre.

 

Por: Anasilda Brancel


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *