Governo escolhe nova empresa russa para desenvolver satélite Angosat-2


O Governo Angolano decidiu trocar a empresa que encontravam-se a desenvolver o primeiro satélite angolano denominado Angosat-2. De acordo com a Energia Space Rocket o desenvolvimento do satélite de telecomunicações angolano Angosat-2 foi adjudicado à Reshetnev Information Satellite Systems.

O site Aviation Explorer, que cita o relatório sobre as contas de 2019, a Energia Space Rocket anunciou que “durante o plano de trabalho, o cliente estrangeiro apresentou uma exigência para que o trabalho de criação e lançamento do satélite Angosat-2 fosse transferido para a Reshetnev”.

Publicidade

De acordo com o documento citada pela agência de notícias russa, a Reshetnev vai também assumir todos os direitos e obrigações relativas à colocação do satélite em órbita, recebendo também da Energia Space Rocket os fundos alocados mas ainda por gastar.

“A administração da Energia Space Rocket também tomou nota do facto de que o Grupo vai adicionalmente colocar 7,8 mil milhões de rublos [um pouco menos de 100 milhões de euros] para outras despesas em 2020 em resultado desta transferência do contrato”, lê-se ainda na declaração financeira.

O satélite de telecomunicações Angosat-1 foi lançado em 26 de dezembro de 2017 a partir do Cosmódromo de Baikonur pelo veículo de lançamento Zenit-2SB com o estágio superior da Fragata. Em 27 de dezembro, após a separação do estágio superior, o satélite perdeu a comunicação. Tentativas de restaurá-lo foram feitas até meados de janeiro de 2018, até que o dispositivo saiu da zona de visibilidade direta por rádio do território Russo, após o que foi declarado inoperante pelo lado angolano.

ASCs são projetistas e fabricantes de satélites de navegação Glonass, satélites de retransmissão Luch, dispositivos de comunicação Luch e outros.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *