Covid-19: Europa vai lançar aplicativo que alerta cidadãos sobre proximidade a infectados


Os cidadãos europeus vão começar a ser alertados sobre a proximidade a pessoas infectadas com COVID-19 através de ‘apps’ de rastreamento de contactos que estão a ser lançadas na União Europeia (UE) e que funcionarão de forma interligada.

Em nota divulgada nesta terça-feira (16) de Junho, noticiada pela Lusa, a Comissão Europeia anuncia que “os Estados-membros acordaram numa solução de interoperabilidade para as aplicações móveis de rastreio e alerta”, o que significa, então, que foram definidas “especificações técnicas para assegurar um intercâmbio seguro de informações entre as aplicações nacionais de localização de contactos”.

Publicidade

“Isto diz respeito à grande maioria das aplicações de localização que já foram – ou estão prestes a ser – lançadas na UE”, destaca o executivo comunitário, notando que, uma vez desenvolvidas e descarregadas pelos cidadãos europeus para os seus telemóveis, as “aplicações nacionais funcionarão sem descontinuidades quando os utilizadores viajarem para outro país da UE”.

Para Bruxelas, esta interligação das ‘apps’ é “um importante passo adicional para a […] deteção de infeções pelo novo coronavírus, à medida que os Estados-membros começam a levantar as restrições às viagens através das fronteiras a tempo das férias de verão”.

Isto significa, então, que em qualquer parte da UE, um cidadão que tenha uma aplicação móvel de um país descarregada no seu telemóvel, poderá receber alertas “em relação à identificação de utilizadores declarados infectados”, sem que para isso tenha de fazer novos ‘downloads’.

Porém, para garantir a proteção dos dados dos cidadãos, a informação partilhada entre aplicações será trocada de forma codificada para impedir a identificação dos utilizadores, explica o executivo comunitário.

E, para isso, Bruxelas rejeita a utilização de dados de geolocalização, defendendo antes o recuso ao ‘Bluetooth’, uma solução tecnológica que salvaguarda a privacidade ao permitir a troca de informações entre dispositivos (telemóveis, computadores, câmaras digitais, entre outros) através de uma frequência de rádio de curta distância e sem partilhar a localização.

 

Lusa


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *