Após reclamações de clientes, Movicel recua nas medidas de subir os preços dos diferentes planos


A empresa de telefonia móvel, Movicel, terá o tarifário dos planos mensais reajustados a partir do próximo dia (01) de Outubro, consequência das frequentes reclamações dos seus clientes, desde o anúncio da subida abismal anunciada no passado dia 15 de Setembro.

A operadora móvel foi duramente criticada pelos usuários, ameaçados de abandonar os seus serviços caso eles permanecessem  com tabela de preços passada. Nesta segunda-feira foi acordado o reajuste a se implementar a partir do primeiro dia do décimo mês.

Publicidade

Os planos sofreram mudanças nos minutos e no preçário, justificado pela necessidade de melhorar a rede. O plano por 30 dias passou à ser 10 mil kwanzas contra os 2.200, 3.900 e 7.400 kwanzas dos planos Takuia e Karga. O plano Takuia, o mais baixo e com validade de três dias, que tinha uma oferta de 30 minutos de saldo de voz para a Movicel e 10 para outras redes, passou a custar 500 kwanzas, com a redução de 20 minutos para a mesma rede e cinco para outra.

O plano Karga Leve, que custava 850 kwanzas passou subiu para 1.500 Akz, por 07 dias, enquanto o Karga Nice que tinha o valor de 2.200 Akz por 30 dias, baixou para 2000 com desvantagens de menos duração de tempo, 10 dias passou a ser o limite do uso do saldo.

O plano Karga Tudo, com valor de 3.900 Akz e validade de 30 dias, tinha benefícios de 750 minutos para Movicel, 80 para outras redes e 1GB de internet. Agora baixou para 3.500 kwanzas, com desvantagens de ser apenas para 15 dias, com 100 minutos para a mesma rede e 15 para outra.

O plano Karga Bwe, que tem a duração de 30 dias, disparou de 7.400 kwanzas para 10.400 kwanzas, com apenas 350 minutos para a mesma rede, contra 1.600 minutos, 50 para outra anteriores e menos um 1GB de navegação.

“Fruto das reclamações dos clientes, reunimos e estamos a fazer um ajustamento do tarifário dos planos Karga Leve, Karga Nice e Karga Tudo, a partir do dia 01 de Outubro”, afirmou o director-geral adjunto da Movicel, Hélquio Vieira Dias, em declarações à Angop.

Segundo o director-geral, Hélqui Dias, a Movicel encontra-se num processo de transformação e quer primar por novos investimentos para a melhoria da sua rede, com o aumento do número de clientes nas  18 províncias do país.

A Movicel conta agora com cerca de dois milhões de clientes, avança que para garantir a qualidade e a melhoria dos serviços e manter a sustentabilidade, cujos custos operacionais e de investimento são em mais de 70% em divisas, a Movicel tem procurado estrategicamente se adaptar as condições económicas e financeiras de mercado, procurando sempre a melhoria da qualidade dos serviços com o mínimo de interrupção para os seus utentes.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *