Fórmula do sucesso para ser Galardoado com um “Diploma Vermelho” na Rússia


Vários sãos os estudantes que sonham ser Galardoados com um diploma vermelho na Rússia. Para uns mostra até certo ponto o quanto a pessoa se dedicou durante os 4 ou 5 anos de formação. Para outros um diploma vermelho chega a ser um cronómetro de inteligência. A AngoRussia procurou saber o que pensa, um dos poucos estudantes angolanos na Rússia, galardoado com o mesmo. Procuramos ainda saber, quais os benefícios que trouxe para o recém-formado este diploma.

Procuramos o recém-licenciado João Miguel da Silva, do curso de Relações Publicas na Universidade Estatal do Kuban, na cidade de krasnodar, para nos falar um pouco da sua experiencia na Rússia, como estudante e jovem.

A felicidade do recem-licenciado João Miguel da Silva
A felicidade do recem-licenciado João Miguel da Silva

AngoRussia: Como caracteriza a sua passagem na Russia?

 João Miguel da Silva: Antes de mais, agradeço a Angorussia pelo interesse e pela oportunidade oferecida. Bem, voltando ao assunto, respondo sem medo de errar, tive uma passagem e tanto, vivi na “graça” e por vezes a “Margem” esta é a realidade. Por isso caracterizando, Se tivessemos que usar uma escala qualitativa de 0-10, daria 8…Fui feliz.

AR: Qual é o segredo do sucesso como estudante?

 João M. Silva: Eu sou um tipo fixe, simples, alegre, com humor acima da média, e isto tem cativado muita gente, é so dar uma olhada para o número de amigos e seguidores nas redes sociais, não tenho sonhos muito altos, tenho é os pés presos ao chão que piso, deixo sempre que os meus planos sejam com antecedencia avaliados por Deus, talvez seja um dos segredos…Mas o real segredo do sucesso é a fé, é quebrar a máscara que há em nós e sermos nós mesmos. Já como estudante, devemos ser fervorosos e pacientes no alcanse dos nossos objectivos. Nunca fui do tipo Faculdade-Casa, Casa-Faculdade. Mas por vezes tive que adiar muitas saídas nocturnas e não só para defender os meus interesses, isto é, a formação dentro dos parametros estipulados.

AR: Qual foi a tua “Rotina na Russia”?

 João M. Silva: oi (risos), liguem pra Krasnodar (risos).

AR: Qual é o conselho que deixas para os novos estudantes?

João M. Silva: Queridos! existem coisas que temos a oportunidade de adquiri-las uma única vez na vida, lembrem-se que estão em terra alheia e o vosso tempo é escrupulosamente determinado, por isso, antes de dar um paço, reflita se isso é realmente o que desejas fazer, de sempre lugar ao que e prioridade em sua vida.

Programas ZAP Viva

Façam amigos, passeiem, beijem muito! Namorem com juizo… Acreditem, muitos sairão daí com o dever cumprido e com boas referencias para o futuro e sólido casamento. A Língua Russa é a segunda mais difícil a nível mundial, estudem! Nada cai do céu! Se nós conseguimos, voces tambem conseguem! Em nada sou superior a voces!

Momentos dificies de se explicar JMS
Momentos dificies de se explicar JMS

AR: Existe uma fórmula própria, para terminar com um diploma vermelho?

João M. Silva: Bem, o único meio para obter um diploma vermelho só estudando, atenção eu disse estudar e não quebrar a cabeça estudando como muitos pensam. Devem aproveitar sempre por privilegiar os primeiros anos, as primeiras provas, os primeiros concursos, as primeiras coisas e as primeiras oportunidades. Não deixem para amanhã o que podem fazer hoje! Existe uma percentagem de 4 e 5 valores que durante os 4 ou 5 anos de formação deverás alcansar, muitos tem a chance de o fazer, mas preferem nos primeiros anos o famoso “troika”, simplesmente para livrarem-se da examinação, e depois nos anos seguintes arrependem-se, mas já é tarde.

Nunca foi minha intenção o diploma vermelho, passou a ser meu alvo quando passei para o quadro de honra da universidade e me foi avisado que se continuasse com boas actuações havia grande probabilidade de ser galardoado com um diploma diferente, vermelho no caso. A partir daí começou a minha longa “caminhada”. Aproveito a oportunidade para agradecer as pessoas que realmente estiveram por perto nesta longa estrada em Krasnodar, das quais passo a mensionar: Ph.D Marcial Catinda, Eng. Edson Marques, Eng.Celso Monteiro, Eng. Dilovica Luís, Dr. Mário Gomes, Dr.Isomar Mavinga, Camarada Bruno Canga (vibrou com o diploma mais do que eu, valeu nigga), Amuro, Osman, Minha Camba Nastia e Sveta ( Valeu as traduções e interpretações ao longo dos tempos), Bacharel Júlio Carvalho, o pessoal do Politécnico e Kuban Respectivamente.

AR: O que hoje significa para sí ter um Diploma vermelho? Ajuda ou ajudou de algum modo na busca do primeiro emprego?

 João M. Silva: É a prova que muitas guerras ganhamo-las com pequenas e astutas batalhas, é a fiel prova de que nada é impossivel, principalmente quando se cre e luta-se empenhadamente no alcance dos nossos objectivos.

Bem, talvez tenha ajudado em alguma coisa. Diploma vermelho é uma faca de dois gumes! Saliento que aquando do meu retorno em Angola, após o reconhecimento de estudo, dei entrada dos meus documentos a várias empresas multi-Nacionais, das quais em muitas recebi o seu feedback já em outras nem por isso.

Hoje em dia já estou a trabalhar a quase 5 meses e ocupo um cargo de directoria no departamento de Recursos Humanos, tenho crescido profissionalmente e socialmente, fazendo o que mais gosto.

Tratam-me de igual modo a outros trabalhadores não obstante ao Diploma de distinção, tenho aprendido muito com os meus colegas, sempre que possível partilho os meus conhecimentos para o desenvolvimento da empresa e do País. Tenho recebido propostas e analizo-as hoje com muito mais calma do que antes, visto sentir-me feliz por hora, com o curso da vida e o resultado dos meus estudos.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!