Ministra anseia que o ensino angolano seja referência a nível mundial


A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, considerou, nesta quinta-feira, fundamental que as instituições do ensino superior, públicas e privadas no país traduzam em actos o anseio da melhoria da qualidade do ensino.

De acordo informações passadas pela Angop, no final de sua visita de trabalho de algumas horas na cidade do Soyo, província do Zaire, onde inaugurou o primeiro instituto superior local, a ministra defendeu acções conjuntas entre o seu sector e os agentes do ramo, para o alcance desta meta.

Publicidade

“Com união, espírito de missão, responsabilidade e foco podemos obter resultados que coloquem as instituições do ensino superior de Angola na lista de referência a nível da região e do mundo”, referiu.

Segundo a governante, as universidades públicas e privadas devem primar pela organização, criando normas de qualidade, promoção constante de processos de auto-avaliação, como forma de monitorar a qualidade do ensino prestado e identificar eventuais lacunas.

Maria Sambo reconhece algumas dificuldades que o ensino em Angola precisa ultrapassar, nomeadamente a melhoria das condições de ensinança e aprendizagem, e nas acções de investigação científica. A ministra ainda sublinhou que o Executivo está atento e trabalha para inverter esse quadro.

Lembrou, ainda, que o país já conta com uma Fundação para o desenvolvimento cientifico e tecnológico, que tem por obrigação apoiar o desenvolvimento da investigação científica. A mesma tem a responsabilidade de apoiar e criar oportunidades para todas as instituições, através  de mecanismos competitivos reconhecidos internacionalmente.