Homem acusado de atropelar mortalmente a ex-namorada vai esperar julgamento em liberdade, depois de ter pago uma caução de 1 milhão de kwanzas


O relacionamento que durou cerca de 1 ano, entre a jovem enquanto viva que respondia pelo nome de Edna Bessa de 27 anos e o homem identificado por Abel João Fernandes de aproximadamente 59 anos, terminou de forma trágica, na noite do passado domingo (19) de Julho, nas mediações da Avenida 21 de Janeiro, Morro Bento, rua dos Generais. O homem que está a ser acusado de atropelar mortalmente a ex-namorada esteve detido mas vai esperar julgamento em liberdade, depois de ter pago uma caução de 1 milhão de kwanzas. 

Segundo a família de Edna Bessa que clama por justiça, o atropelamento teria acontecido nas proximidades do Kero do Morro Bento, na noite deste domingo (19), quando depois de uma acesa discussão entre ambos, motivado por ciúmes, o homem retirou-se da casa da jovem e dirigiu-se até sua viatura, para se ir embora sem ter dado conta da malograda que se pendurou no manipulo do lado direito da viatura.

De acordo com testemunhas que encontravam-se próximo do local trágico contam que embora as coisas tenham corrido tão rápido, a malograda chegou a dizer ao ex-companheiro que conseguiu mata-la, tendo este retirado a mesma debaixo do carro e levou-a rapidamente a uma unidade hospitalar mais próxima, mas que acabou por falecer nesta segunda-feira (20).

Segundo fonte da PGR, Abel João Fernandes esteve detido na esquadra da Samba, onde foi interrogado pelo magistrado do Ministério Público, depois de oficiais do Serviço de Investigação Criminal (SIC), terem feito perícia no local do crime, e concluírem que tratou-se de homicídio involuntário, pois, sustentam, que a vítima terá se agarrado numa das portas da viatura do acusado, não tendo este se apercebido, arrancou a viatura, que terá proporcionado a queda da falecida, que terá embatido com a cabeça ao solo com gravidade.

Ao homicida lhe foi restituído a liberdade nos termos de residência e identidade pela Procuradoria-Geral da República (PGR), depois de ter pago uma caução de 1 milhão de kwanzas.

A malograda deixa uma filha de nove anos de idade.

PUB

Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *