Família em condições precárias carece de ajuda


Comovida com as condições precárias em que a família do pequeno John vive, a jovem identificada por Chris Mavinga, decidiu levantar um “grito de socorro” para mitigar às necessidades que estes passam desde que o representante (pai) perdeu o emprego.

Após ter se deparado com o menino John, de 13 anos, em uma das ruas de Luanda, que implorou que permitisse engraxar os seus sapatos porque precisava levar alguma coisa para casa, Chris questionou se este estudava. Depois de obter uma resposta negativa deslocou-se à casa do menino para entender a razão daquela criança estar na rua a trabalhar ao invés de estar em uma escola.

Publicidade

Ao chegar ao destino, a jovem deparou-se com uma família composta por nove membros, dos quais dois adultos (mãe e pai) e sete crianças, que passa por muitas dificuldades, uma vez que o pai está desempregado e vive de pequenos “biscatos” que nem sempre aparecem, o que coloca o pequeno John na linha da frente como a segunda fonte de rendimento da casa.

Dona Marcelina mãe de John, conta que o marido trabalhava em uma empresa, mas devido a pandemia foi obrigado a ficar em casa. A mesma frisou que as criança estão fora do sistema de educação por falta de valores monetários para custear os estudos .

”Todos estão sem estudar há um ano por não ter como pagar”, disse a senhora que reforçou que quando o filho não vai as ruas engraxar, a família não come.

Apesar de ter um bebé de meses, dona Marcelina está disposta a trabalhar como doméstica caso alguém se predisponha a contratá-la.

Para quem quiser ajudar com bens de primeira necessidade pode contactar a jovem Chris Mavinga pelo número telefônico 940157014 e para outro tipo de ajuda pode ligar para o 942103031 senhora  Marcelina (mãe de John).

 


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *