Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto corre o risco de encerrar por falta de professores


Segundo informou a decana da instituição académica Aline de Almeida, ao jornal de Angola que o seu quadro apresenta apenas dois docentes efectivos e 95% são colaboradores que atendem um universo de 200 a 300 estudantes. 

“Não é com docentes colaboradores que o curso se vai desenvolver. Eles até podem manter o mesmo em funcionamento, mas não é disso que a Faculdade de Engenharia e o respectivo curso precisam para o seu desenvolvimento”, afirmou Aline em declarações ao JA.

Publicidade

Além do curso de Engenharia de Informática, estar ameaçado a encerrar, Aline de Almeida, informou ainda que o curso de Engenharia de Petróleo também corre os mesmos riscos, por dispor de apenas de um docente efectivo, que tem ajuda de colaboradores docentes efectivos de outros cursos.

“Temos docentes já em idade e tempo de serviço para reforma, mas infelizmente, continuamos com os mesmos, sem possibilidade de efectuarmos novas admissões”, disse a decana.

 


Gostou? Partilhe com os teus amigos!