Estudantes universitários voltam a contestar o aumento de propinas


Os estudantes universitários voltaram a manifestar descontentamento nas alterações do preço das propinas. Para demonstrar suas insatisfações a respeito da situação que atravessam, uma camada estudantil reuniu-se nesta terça-feira (19), as portas da universidade Metodista, com vários cartazes, pronunciando palavras de ordem.

Em declarações ao Jornal de Angola,  uma  estudante do 2º ano do curso de gestão e administração pública da Universidade Metodista, disse que o objectivo da manifestação é apelar para a redução da propina, para  que os mais necessitados também tenham acesso ao ensino.

Publicidade

Wiliam disse ainda que o pai concordou em juntar-se aos estudantes para pressionarem a universidade a reduzir a propina, porque não quer ver os seus filhos sem estudar por falta de condições. Já Joana Nicolau, estudante do curso de arquitetura, explicou que integrou a manifestação porque o ordenado de seu pai, que trabalha como protecção física não vai suportar os encargos familiares e a formação superior da primogénita.

Por outro lado, os estudantes da Universidade Independente de Angola (Unia), também reclamam sobre o aumento dos preços da propina e a forma como a informação foi divulgado, sendo que a direcção da instituição informou-os que podiam ficar descansados porque as mensalidades não seriam reajustadas. Mas de acordo com os mesmos não foi o que aconteceu, já que no momento que iam fazer as confirmações de matrículas foram surpreendidos com tal realidade, que os deixou indignados, pois não tiveram  um aviso prévio.

Leia também: Estudantes universitários ameaçam travar o início das aulas

Por: Eucadia Ferreira