Bolseiros angolanos na Argélia passam por necessidades e clamam por ajuda


Os estudantes bolseiros do INABE na Argélia, fizeram saber recentemente, por meio de uma nota a que teve acesso o AngoRussia, que têm passado por diversas dificuldades, principalmente nesta época de pandemia, e que sentem-se abandonados pela referida instituição. 

Segundo a nota submetida ao AngoRussia, nesta quinta-feira (28) de Janeiro, os estudantes angolanos que fazem parte do programa de Bolsas do INABE, não têm sido respeitados como cidadãos, nem como bolseiros do Estado Angolano. O documento dá conta também de atrasos constantes nos pagamento dos seus subsídios de bolsa, o que faz com que passem por diversas dificuldades.

Publicidade

“O INAGBE, a Embaixada de Angola na Argélia, e o Sector de Apoio aos Estudantes na Argélia, nada fazem para ajudar os estudantes, os mesmos sentem-se abandonados por essas entidades que só dificultam as suas vidas “, diz a nota.

A nota realça também que os estudantes finalistas do ano passado ainda encontram-se na Argélia devido a situação epidemiológica que o mundo vive, e que por isso foi-lhes garantido a continuidade do pagamento dos seus subsídios, enquanto estiverem naquele país, mas que não está a ser feito o cumprimento da “promessa”.

“A autenticação dos documentos deve ser feita na Embaixada de Angola e cada documento está a custar 15 dólares, tem estudantes que têm mais de 15 documentos, e não se sabe onde vão parar dessa maneira. Esse dinheiro todo vão tirar de onde se já não são bolseiros? Os estudantes correm o risco de regressarem para Angola e deixarem os seus documentos na Embaixada da Argélia porque a Embaixada Angolana ainda não possui meio para autenticar os documentos”.

O documento diz ainda que os estudantes serão obrigados a pagar por meios próprios os testes de COVID-19, quando regressarem para Angola.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *