Encarregados de educação alegam que a falta de material de biossegurança pode expor alunos ao risco


Após a retoma das aulas presenciais dos alunos do ensino primário e em função do desenrolar da situação epidemiológica no país, diretores, encarregados de educação e associações académicas afirmam que  falta de material de biossegurança registada em várias instituições de ensino primário do país, pode expor crianças ao vírus SARS-Covi-2.

Devido a insuficiência de material de biossegurança a actividade lectiva presencial para os alunos do ensino primário pode comprometer a saúde destes e do corpo docente das instituições, facto que tem preocupado os encarregados de educação.

Publicidade

Importa frisar que a maior parte das instituições do ensino primário da província de Luanda não estão ligadas a rede de abastecimento de água pública, e é possível constatar em certas instituições a falta de termómetros, sabão e álcool em gel para a higiene dos alunos e corpo docente, de acordo noticiou o N.J.

 

Por: Ester Mendes


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *