Em 2 anos, Angola criou 161 mil postos de trabalho, diz PR João Lourenço


O Presidente da República, João Lourenço, anunciou, nesta terça-feira, que o país criou, entre 2017 e 2019, 161 mil postos de emprego, nos sectores empresariais público e privado.

Foto: Lusa

Durante o seu discurso proferido na abertura da III Sessão Legislativa da IV Legislatura da Assembleia Nacional, sobre o estado da nação, o Presidente da República, João Lourenço, avançou que isso representa quase um terço dos 500 mil postos previstos para o mandato de cinco anos.

João Lourenço afirmou que “entre 2018 e o terceiro trimestre de 2019 foram criados 161.997 novos empregos, cerca de um terço dos 500 mil de um mandato de cinco anos”, dos quais 80% no sector empresarial (público e privado) e os restantes no sector político administrativo (função pública).

O sector do comércio foi o que gerou mais emprego seguido da construção e obras publicas, transportes, agricultura e indústria, adiantou o governante.

O Presidente destacou que a luta pela redução da taxa de desemprego “deve ser permanente” e que esta acção deve estar a cargo do executivo e dos seus parceiros, ou seja, o sector empresarial privado.

Assinalou também que no âmbito do relançamento económico e com vista ao aumento do número de empregos, o executivo tem concentrado a sua acção na revitalização da base produtiva do país e “vai continuar a apoiar os empresários nacionais”.

Outra medida que disse contribuir para a criação de emprego é o chamado Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), com uma consignação de dois mil milhões de dólares, que prevê construção de infraestruturas nos municípios.

O PIIM prevê 1.700 projectos em todo o país, incluindo 4.000 salas de aula, 275 unidades hospitalares, 100 infraestruturas administrativas e autárquicas, reabilitação de vias, construção de pontes e conclusão da primeira fase do ‘campus’ universitário de Cabinda.

Foram ainda feitas novas contratações na função pública, sobretudo nos sectores da saúde e da educação, tendo sido admitidos 31.875 trabalhadores.

Ainda de acordo com João Lourenço, a trajectória da inflação em 2019 tem decrescido em mais de 1%, situando-se a volta do 17.2% comparativamente ao ano de 2018.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

Um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. Este post esta errado. nao foi isso que o Presidente disse. o Pais nao esta bem mas se queremos criar factos, vamos criar como deve ser.
    ha muita carência no Pais sim ha mas vamos ser realistas.