Elisa Gaspar nega acusações sobre desvio do fundo da ORMED


Após ter sido afastada da Ordem dos Médicos de Angola (ORMED), Elisa Gaspar voltou a afirmar nesta quinta-feira que jamais usou o dinheiro da instituição para seu próprio benefício.

Como justificação a bastonária disse que os 19 milhões e 800 mil kwanzas alocados à instituição, no primeiro trimestre de 2019 foram repartidos pelo Ministério da Saúde, no pagamento de salários de funcionários internos e na compra de material corrente e outras despesas da instituição.

Publicidade

Em conferência de imprensa realizada nesta quinta-feira (22) de Outubro em Luanda, esclareceu as acusações do Conselho Regional Norte de uma suposta má gestão e uso indevido da quantia monetária acima referida, alegando que “cinco milhões, 417 mil 181 kwanzas e 32 centésimos serviram para a compra de material informático e didáctico, com um saldo a transportar de AKZ 1.745.79”.

Acrescentou ainda que, “do valor transferido via bancária, através da Ordem de Saque Paga-STC Nº 777, nove milhões 618 mil e 133 kwanzas e 94 centavos foram gastos em pagamentos de ordenados referentes aos meses de Março, Abril e Maio do ano passado. A transferência interbancária (STC Nº777) do Ministério da Saúde, AKZ 1.409.865,32 foram usados em bilhetes de passagem para o Brasil e o respectivo alojamento; 818 mil 483 kwanzas e 75 cêntimos em transporte, combustível, manutenções e reparações”.

Continuou dizendo que 594. 830,56 Kwanzas em comunicações, recargas e internet e 1.943.251,03 Akzs com pagamentos diversos. Elisa referiu ainda que de Junho a Dezembro de 2019, a instituição dispunha de três milhões 154 mil e 375 kwanzas, de uma nova Ordem de Saque Paga-STC/Nº1395 (datada de 14 de Julho de 2019), do qual subtraiu AKZ 2,342.389,09 para pagar salários, referentes ao mês de Junho, aos 22 funcionários internos. Admitiu que a 22 de Agosto de 2019 a ORMED beneficiou de mais uma subvenção do MINSA, de 6.660.000,00 Kwanzas (Ordem de Saque STC/N1852), de que extraiu AKZ 5.514. 044,99 para honrar o pagamento dos ordenados dos trabalhadores, dos meses de Julho e Agosto, sempre com o saldo negativo de 1.745.79 Kwanzas transportados.

A responsável disse ta,bém que no dia 10 de Setembro de 2019 a ORMED recebeu 6.860.765,62 Kwanzas (Ordem de Saque Paga-STC/Nº1905), de que saíram AKZ 6.248.802,17 para os ordenados deste mesmo mês e o de Outubro de 2019.

De acordo aos relatórios de Junho à Dezembro, a Ordem gastou dois milhões 222 mil e 378  kwanzas e 41 cêntimos em pagamentos diversos, totalizando 16.327.614,66 Akz de despesas.

Elisa aproveitou a ocasião para dizer que a Ordem não paga salário a nenhum dos 13 mil membros angolanos, “a ORMED não tem dinheiro, como muitos pensam, cada médico filiado vence pela unidade hospitalar onde está colocado”, afirmou a bastonária.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *