Maersk vai estabelecer novo recorde mundial com perfuração de poço com lâmina d’água de 3.628 para TotalEnergies em Angola


A TotalEnergies exerceu a opção do navio-sonda de 7ª geração Maersk Voyager para perfurar o poço de exploração Ondjaba-1 em águas ultraprofundas no Bloco 48 de Angola. O poço será perfurado em um novo recorde mundial de lâmina d’água de 3.628 m.

A empreiteira dinamarquesa de perfuração offshore Maersk Drilling obteve uma extensão do contrato da TotalEnergies para perfurar um novo recorde mundial em Angola. A extensão do contrato tem uma duração estimada de 54 dias, o que significa que a Maersk Voyager está agora contratada até fevereiro de 2022 , informou o proprietário da sonda na última sexta-feira.

Publicidade

Os trabalhos em Ondjaba-1 começaram em outubro de 2021, após o qual a sonda está programada para se mudar para a Namíbia para perfurar o poço Venus. Uma opção de um poço permanece no contrato.

Morten Kelstrup, COO da Maersk Drilling, disse citado pelo site Offshore Energy: “Estamos entusiasmados em poder confirmar que de fato iremos perfurar para um novo recorde mundial. Ondjaba-1 fazia parte do contrato original da Maersk Voyager em Angola, mas o programa de perfuração da plataforma passou por várias mudanças devido às circunstâncias sem precedentes que o mundo tem enfrentado desde o início de 2020.

“Com esta opção de contrato chamada, agora estamos ansiosos para provar que a Maersk Drilling e a tripulação altamente capaz da Voyager podem mais uma vez quebrar os limites existentes em estreita colaboração com a TotalEnergies.”

O recorde mundial actual é de 3.400 m, estabelecido pelo navio-sonda irmão da Voyager, Maersk Venturer, quando perfurou o poço Raya-1 para a TotalEnergies offshore do Uruguai em 2016.

O Maersk Voyager é um navio de perfuração em águas ultraprofundas de alta especificação entregue em 2014. Ele opera offshore na África desde 2015 e iniciou as operações da TotalEnergies em janeiro de 2020, quando deveria perfurar na profundidade de água mais profunda já perfurada no mar.

Após uma suspensão em abril de 2020 devido à pandemia Covid-19, a plataforma reiniciou as operações em agosto de 2020.

Em outubro de 2020, o navio sonda obteve um contrato de três poços com a TotalEnergies para perfurar poços de desenvolvimento no Bloco 17 de Angola, mantendo-o ocupado até o 2 quarto de 2021.