BPC vai continuar a fechar agências e despedir funcionários


3 partilhas

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) disse em declarações a imprensa que vai manter a política de encerramento de balcões e de despedimento de funcionários, no quadro da reestruturação e do saneamento da instituição.

A informação foi avançada pelo presidente do conselho de administração do BPC, Alcides Safeca, no Lubango, capital da província da Huíla, à margem do lançamento de uma linha de financiamento apoiada pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

“Vai haver, sim, o despedimento de pessoal”, declarou Alcides Safeca, lembrando que o processo de reestruturação e saneamento tem uma componente de otimização do pessoal e de redução de custos, com a qual foram encerradas, entre abril e agosto, 14 balcões do maior banco angolano, estatal.

Segundo o presidente do conselho de administração do BPC, o processo vai continuar na região sul do país, com o encerramento de um dos balcões do banco nas capitais das províncias da Huíla, Cunene, Namibe e Cuando Cubango.

Alcides Safeca afirmou que o processo de reestruturação do BPC decorre a “bom ritmo” e prevê diferentes ações no domínio da gestão, o que já acontece em várias unidades orgânicas e dos processos internos do banco, imprimindo um “maior rigor às ações dos colaboradores e direção” da instituição.

“O banco está a trabalhar para melhorar a sua eficiência na prestação de serviços aos clientes”, adiantou, referindo que houve também outras ações, além da gestão e do saneamento da carteira no balanço do banco.

Alcides Safeca adiantou que, apesar do encerramento de agências, a expansão dos serviços bancários continua, no cumprimento pleno do que foi aprovado pelos acionistas da instituição e reforçado na assembleia-geral, realizada em maio.

O BPC conquistou uma chita de ouro neste domingo, ao ser distinguido na categoria de melhor stand durante uma gala de premiação realizada pela Associação Agro-Pecuária Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL), pela sua participação, na maior bolsa de negócios do sul de Angola, Expo-Huíla 2018.

A Expo-Huíla 2018, que teve a duração de quatro dias, contou com a participação de 70 empresas, uma redução de 152 expositores em relação à edição anterior (222 empresas).

AR-Lusa-Angop

PUB

Gostou? Partilhe com os teus amigos!

3 partilhas

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *