Angola volta a descobrir mais um diamante gigante


Após a descoberta do maior diamante rosa do mundo no final de Julho, Lucapa Diamond Company, a empresa australiana que gere a mina do Lulo, acaba de anunciar a descoberta de mais um gigante na sua exploração de 3.000 kms2, com 160 quilates, na Lunda Norte.

De acordo as informações veiculadas pelo Novo Jornal, o diamante de 160 quilates é o 6.º maior encontrado no Lulo com grande qualidade, denominado “type Ila” e saiu do mesmo local onde foi encontrado o “rosa” de 170 quilates que foi divulgado a 27 de Julho.

Este é o 28.º diamante encontrado no Lulo com mais de 100 quilates, o que faz, de longe, esta mina a mais valiosa de Angola em quantidade de gemas especiais encontradas, que são assim considerados todos os diamantes com mais de 10,8 quilates, especialmente apreciados pela joalharia mundial de luxo.

O raro diamante rosa puro que se acredita ser o maior encontrado em 300 anos, descoberto há um mês, recolocou o Lulo na “boca do mundo”, como uma das mais valiosas minas do mundo desde que iniciou a exploração em 2016, ano em que viu as suas “pedras” baterem o recorde mundial por quilate, atingindo os 2.893 USD/quilate, devido, especialmente, à dimensão média das descobertas e à sua qualidade rara.

As descobertas consolidam o estatuto da exploração do Lulo como a estrela das minas de diamantes angolanas.

Com os primeiros diamantes encontrados datados de 1912, por geólogos belgas que fizeram uma incursão à zona das Lundas a partir do então Congo-belga, actual RDC, foi em 1917 que teve início a exploração de diamantes de forma planeada, mas só em 2016, no Lulo, Angola surgiu aos olhos do mundo como origem de uma “pedra” de grandes dimensões.

Foi nesse ano que a Lucapa mostrou o seu diamante de 404 quilates, o maior extraído em Angola desde sempre, e ainda outros dois, com 227, em Fevereiro de 2017, e 172 quilates (Março de 2016), que preenchem o pódio das maiores descobertas em solo angolano.

Estas gemas, consideradas de grande qualidade, especialmente a de 404 quilates, sendo vendida por 16 milhões USD à De Grisogono, de Isabel dos Santos e Sindika Dokolo, posteriormente transformada numa jóia de 163 quilates e vendida por 34 milhões, fizeram com que o Lulo obtivesse o estatuto da mina mais valiosa por quilate em todo o mundo, atingindo em 2016 os 2 983 USD/quilate.