Despesa com médicos cubanos atinge 71,3 milhões de euros


Segundo um despacho presidencial que autoriza a realização da despesa que a Lusa teve acesso, os custos para a contratação de médicos especialistas cubanos para assistência médica em Angola ascendem a 71,3 milhões de euros.

Num despacho presidencial, de 29 de maio, João Lourenço delegou na ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, competência para praticar todos os atos decisórios e de aprovação tutelar, incluindo a aprovação das peças do procedimento até à celebração do contrato.

Publicidade

Os recursos necessários à implementação do contrato devem ser assegurados pela ministra das Finanças.

Em abril passado, a ministra da Saúde anunciou a chegada ao país de 244 médicos cubanos, para apoiar no combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus, que estão a ser distribuídos por todo país.

Recentemente a ministra da saúde Sílvia Lutucuta disse em conferência de imprensa que o governo angolano gasta em média 5 mil dólares mensalmente por cada médico cubano.

A contratação de médicos cubanos para Angola levantou polémica entre a classe médica local, liderada sobretudo pelo Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea), que já manifestou o seu descontentamento com a questão.

Em comunicado, o Sinmea considera desvalorizada a classe médica angolana numa comparação ao salário de 5.000 dólares (4.563 euros) atribuído aos seus colegas cubanos, segundo informação prestada pela ministra da Saúde, numa conferência de imprensa.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *