Covid-19: Ministra anuncia segunda vaga agravada com novas estirpes


A ministra da Saúde Sílvia Lutucuta anunciou está quarta-feira (28) de Abril, que o país se encontra “em plena segunda vaga” da covid-19, agravada pelas novas estirpes que estão a afectar famílias inteiras, contando-se actualmente 523 casos das variantes sul-africana e inglesa.

Sílvia Lutucuta avançou que nos últimos três dias foram diagnosticados 260 casos da estripe inglesa, perfazendo um total de 523 casos, incluindo da variante sul-africana, desde o mês de Março do ano em curso. Os óbitos, realçou, são também em número considerável e estão a atingir pessoas jovens.

Publicidade

“Nós já temos pessoas jovens a morrer”, alertou Sílvia Lutucuta, salientando que as estirpes são de grande transmissibilidade.

A ministra, que receia o registo de um cenário pior ao verificado no país em Outubro de 2020, apelou para a necessidade do cumprimento rigoroso das medidas de biossegurança, como forma de se evitar danos maiores.

“Estamos muito preocupados e, por esta razão, tivemos que recuar, também porque as medidas não estão a ser cumpridas”, disse Sílvia Lutucuta, lamentando que as pessoas não usem máscara, se tenham esquecido de lavar as mãos e estejam a promover festas e grandes ajuntamentos.

Conforme a ministra, o mais preocupante é o facto de a maioria dos casos das novas variantes serem sintomáticas e afectaram, em alguns casos, centenas de famílias ao mesmo tempo.

“Tudo isso pode concorrer para o colapso do sistema de saúde. Se não cumprirmos as medidas vamos ter um pior cenário do que em outubro do ano passado”, avisou.

A ministra dirigiu-se também a quem chega do estrangeiro, apelando ao estrito cumprimento da quarentena domiciliar.

“O facto de ser negativo nas 72 horas antes e no teste pós desembarque não significa que, em algum ponto da sua viagem, não tenha tido exposição [ao vírus] e ainda esteja em período de incubação, pois a replicação viral pode acontecer até ao 7.º ou 10.º dia”, explicou.

Segundo Silvia Lutucuta já houve pessoas que chegaram do estrangeiro, fizeram a testagem regulamentar e não cumpriram a quarentena, mas testaram positivo alguns dias depois, “arrastando consigo membros da sua família, por vezes com óbitos”.

O Governo reviu esta quarta-feira as medidas de prevenção contra a covid-19, face ao aumento dos casos nas últimas semanas, com destaque para o agravamento das sanções, redução de horários e limitação da capacidade dos espaços para evitar aglomerações.

Angola que registou nas últimas 24 horas mais 226 casos de covid-19, quatro mortes e 243 doentes recuperados, conta actualmente com 26.168 casos positivos, dos quais  591 óbitos, 23.584 recuperados, 1.903 activos.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *