Covid-19: Governo encerra Hoji-Ya-Henda, ninguém entra e ninguém sai


240 partilhas

As autoridades sanitárias angolana montaram uma cerca sanitária no bairro do  Hoji-Ya-Henda, no município do Cazenga, onde se verificou vários casos de transmissão local de covid-19, informou nesta segunda-feira (11) de Maio, o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

O “caso 31” tem a ver com um cidadão guineense, de 36 anos de idade, comerciante e residente no bairro Hoji Ya Henda, que veio de Portugal no voo DT-653, de 17 de Março de 2020, sem, no entanto, obedecer a quarentena domiciliar.

Publicidade

O dirigente, que fazia a habitual actualização dos dados da covid-19, sustentou que as autoridades sanitárias foram obrigadas a reforçar a capacidade da vigilância epidemiológica nessa circunscrição devido ao aumento do contágio local, provocado pelo “caso 31”.

Além desse, também existe o “caso 26”, cuja referência já infectou 13 pessoas, sendo a maior parte membros da sua família.

Por causa do “caso 26”, o distrito urbano do Futungo, município de Talatona, e o bairro Cassenda, distrito da Maianga, em Luanda, estão, desde terça-feira última, em cerca sanitária extraordinária, para conter a propagação da contaminação local do novo coronavírus (covid-19) nessas zonas.

O “caso 26” envolve um cidadão angolano que veio de Portugal no dia 18 de Março e também não cumpriu com a quarentena domiciliar.

Serão, desta forma, controladas cerca de três mil pessoas, tendo sido 90 levadas para quarentena institucional.

Angola regista 45 casos positivos confirmados, dos quais 30 doentes activos (estáveis), 13 recuperados e duas mortes.

A estatística aponta a existência de 18 casos de transmissão local, sem o registo, até ao momento, de ocorrências nas comunidades.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

240 partilhas

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *