Candidata ao concurso público mostra-se indignada por obter 17.75 valores e não ser admitida


Os resultados do concurso público do Governo Provincial de Luanda, realizado o ano passado, já  começaram a ser publicados nas administraçãoes de cada município. Em consequência, uma candidata mostrou-se indignada, ao obter um valor de 17.75 e ser classificada como não admita, num universo em que alguns candidatos com 14 valores foram admitidos.

A jovem  que participou do concurso no Município do Kilamba Kiaxi, na categoria de Técnico Médio de 3ª classe, mencionou que já submeteu a sua reclamação à Administração do referido município e foi orientada a aguardar pelo resultado da reclamação.

Em repercurção a publicação da candidata no Facebook, vários outros candidatos apresentaram as mesmas indagações, alegando que há quem teve 19 valores mas não foi admitido, outros afirmam ainda que existem nomes que constam na lista mas as pessoas não estiveram presentes no dia do teste para o ingresso.

“Enfim! É completamente anormal. Tenho pena das pessoas que têm esperança nesses fúteis concursos públicos em busca de alguma oportunidade. As pessoas sofrem para se candidatar, aguentam as enchentes, faltas de respeito e muita humilhação no seu próprio país, como se de estrangeiros se trata-se”, disse um internauta. “Os tais concursos não obedecem  os ditos calendários que os ‘sábios elaboram’. Mais de 3 meses ou mais para corrigirem as provas, tantas desculpas sem nexo para publicarem os resultados. Agora publicam e não se percebe como pessoas que obteram 17, 18 valores não foram admitidos na medida em que outros com a mesma nota foram admitidos. Como é possível? Afinal qual foi o critério de exclusão?  Isso é completamente inaceitável. Definitivamente estamos caminhando de mal a pior ano após ano. Não temos instituições ( públicas) credíveis”, lê-se nos comentários no Facebook.

As listas do concurso público começaram a ser  publicadas nesta terça-feira 11 de Janeiro e os candidatos segundo o comunicado do Governo Provincial têm apenas três dias para efectuarem as suas reclamações para possível resoluçaõ. A nossa equipa de redação contactou algumas administrações e aguarda as respostas para possíveis esclarecimentos.