Bolseiros angolanos aplaudem decisão da Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação


243 partilhas

Após a Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, ter anunciado na última segunda-feira (18) de Maio, durante um encontro com deputados da  3ª comissão da Assembleia Nacional para analisar a situação dos bolseiros no exterior, que os subsídios dos mesmos passarão a ser transferidos directamente nas suas respectivas contas, muitos dos bolseiros aplaudiram a decisão da Governante. 

Com o objectivo de acabar com a demora dos pagamentos, garantiu a Ministra durante o seu discurso, o dinheiro será depositado numa conta no BPC e transferido directamente para a conta dos estudantes,  o ministério vai com isso suspender os pagamentos por via do Sector estudantil da Embaixada.

Maria do Rosário Sambo, esclareceu ainda que as contas de Janeiro a Abril deste ano foram todas emitidas em moeda nacional, pois as ordens de saque em moeda nacional são pagas e depositadas numa conta bancária que depois o INAGBE emite as ordens de apagamento junto ao BPC para execução. Ao acrescentar que o modelo de pagamento cria transtornos e que a pontualidade e assiduidade das transferências depende da disponibilidade de execução do BPC que conseguiu executar na totalidade até Março, as operações referentes ao mês de Janeiro.

Nas redes sociais, bolseiros angolanos que encontram-se em alguns países como Cuba, Portugal e Rússia, manifestaram-se felizes e satisfeitos ao aplaudiram a decisão em relação aos pagamentos, alegando que o ministério irá com isso cortar a corrupção existente no sistema de transferência actual, onde o dinheiro é primeiramente transferido numa conta do sector estudantil e só depois é enviado para as contas dos estudantes.

“Já era sem tempo, demorou mais chegou altura de pararem de tirar o de direito aos estudantes. Falei isso porque meus irmãos sofrem por isso que esses senhores fazem nas embaixadas”, escreveu um internauta. “Já deveriam fazer isso a anos”, acrescentou outro. “Essa ministra sabe das coisas possas gostei bwe ya”, concluiu um internauta.

Ainda entre os outros comentários de elogio pela iniciativa da Ministra, teve também quem não deu-se por satisfeito, e questionou o facto do Governo continuar a trabalhar com o Banco de Poupança e Crédito em detrimento de outras agências bancárias existente no país para evitar os actuais transtornos causados pelos constantes atrasos.

“Mas quando é que o governo vai apostar em outros agências bancárias, se querem na verdade eliminar o atraso dos subsídios porque não contratar outra empresa, uma vez que o tal BPC encontra-se como bastante serviço público e não só. A incompetência e falta de fiscalização adequada ou com rigor são os motivos de tantas brincadeiras e robôs neste país”, escreveu.

“A mixa do Apoio estudantil acabou”, ironizou uma internauta

De ressaltar que, actualmente, fora os bolseiros internos, o INAGBE controla  dois mil e 566 bolseiros dos quais 41 por cento são do sexo feminino.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

243 partilhas

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *