Ambientalista Fernanda Samuel denúncia ataques aos mangais do Benfica


Agastada com a degradação dos mangais nas mediações do Benfica, em Luanda, a engenheira de produção de petróleo Fernanda Renée Samuel de 28 anos, que trabalha na proteção ambiental, fundadora da AmbiReciclo que promove a economia verde, recorreu nesta segunda-feira (14) de Setembro, a rede social Facebook, para partilhar uma denuncia contra os ataques aos mangais. 

A ambientalista, cresceu entre os manguezais e se sente profundamente conectada à bela biodiversidade do ecossistema de aves migratórias, peixes, crustáceos e moluscos. Mas as construções na área causaram um declínio de espécies e um aumento de inundações. Na tarde desta segunda-feira (14), Fernanda deslocou-se até aos mangais do Benfica, depois desta ter recebido uma denuncia que toma conta da degradação dos mesmos.

Publicidade

“Na sexta feira,11, recebi a ligação da filha da Tia Laurinda, muita aflita a pequena de 12 anos, a informar que haviam chegado mais carros com entulhos para colocar nos mangais do Benfica/Morro dos veados para construções de empreendimentos de certos empresários nestes locais. No sábado de manhã,12, eu e mais amigos do Projecto de protecção dos mangais ‘Otchiva’ nos deslocamos até ao local e confirmamos a denúncia da pequena. Não me cansarei de explicar sobre a importância dos mangais, mas hoje não o farei”, começou por dizer.

Triste com a situação que encontrou, Fernanda realça ainda que existem famílias no local que têm os mangais com fontes de sobrevivência, assim como a exploração de mabangas, que diariamente serve de alimentação para as pessoas que habitam nas mediações.

“Hoje só quero vos mostrar a resiliência desta familia de pescadores, que todos os dias vão aos mangais para explorar mabangas. Mabangas estas que parte serve de alimentação para esta família, parte vai para a venda cujo o dinheiro serve até para pagar a escola da pequena e seus irmãos”, disse ao apelar por respeito as mesmas famílias: “respeitem pelo menos a única fonte de rendimento destas familias. Vocês que estão a destruir e vocês que autorizaram a destruir têm alternativa de renda para estas familias? Sei que Não. Então se não fazem pelos flamingos, nem pelos peixes, que façam pelas pessoas que dependem deste ecossistemas. Parem”, apelou.

De ressaltar que, Fernanda que esteve entre os finalista ao prémio “Jovens Campeões da Terra 2020”, das Nações Unidas revelou que seu grande sonho é ver os manguezais em Angola definitivamente protegidos, restabelecer a resiliência da costa, bem como o bem-estar de todas as espécies que dependem dos manguezais, incluindo os humanos.

 

 


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *