Sophia Buco fala sobre a estreia da peça “Filhas da Herança”


Depois de datas adiadas, Sophia Buco, Carina de Sousa, Haylssa Renata, Rosa de Sousa, Celma Pontes e Helena Moreno, vão finalmente interpretar a peça “Filhas da Herança” que estreia no dia 3 de Julho, às 17h00 na Casa das Artes.

 

A apresentação que será exclusivamente para cem pessoas, por conta das restrições impostas pelo decreto presidencial, é uma adapção bíblica (Números27:1-7) sobre as filhas de Zelofeade, que repercutiram a mudança de leis perante os homens sobre a igualdade do género, influenciando com sabedoria, na criação de uma nova lei para permitir que as mulheres possuíssem terras, algo que não era permitido antes.

Publicidade

É importante ressaltar que na época, em Israel, as mulheres eram tratadas como propriedade do pai e depois, transferidas para o marido por meio de um pagamento nupcial.

Sophia Buco realçou que a experiência no teatro gospel, o tempo de envolvimento no grupo teatral da sua igreja e a visita a Israel em 2018, serviram de motivação para mergulhar na montagem do grande espetáculo “As Filhas da Herança”.

“Na verdade, já tive uma vaga experiência com o teatro gospel. E durante um tempo estive envolvida no grupo de teatral da minha igreja, e logo percebi da grandeza que tem o teatro gospel, aliás a maior parte de nós crescemos ouvindo histórias bíblicas. Senti-me desafiada a mergulhar neste desafio”, destacou.

Por outra, Sophia mencionou que em Angola o teatro gospel não está numa dimensão que merece, por isso, após seu regresso da “terra santa” sentiu-se no direito e obrigação de fazer esse mergulho as histórias bíblicas.

“Fui a Israel em 2018, e essa vontade só foi aumentando, quando cheguei entrei em contacto com o Flávio Ferrão, a pessoa que escreve as minhas peças, passei-lhe a ideia e o objectivo que eu tinha para com está peça e começamos a trabalhar. Depois juntou-se a nós o Joel Mulemba que é também encenador, que trabalha nestas duas vertentes do teatro fora e dentro da igreja”,

De acordo com a actriz, a produção foi interrompida durante um ano devido a pandemia da Covid-19, uma vez que Sophia não quis um regresso normal, mas algo que causasse impacto a todos os membros do projecto e à sociedade em geral, pois é uma peça para toda a família, e um agradecimento a Deus pela vida e saúde.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *