Material extraído da carapaça do caranguejo pode substituir plástico


O material flexível foi criado por um grupo de investigadores do Georgia Institute of Technology, nos Estados Unidos, e é feito através da pulverização de múltiplas camadas de quitina, uma substância presente na carapaça do caranguejo e a partir da celulose encontrada nas árvores.

Material extraído da carapaça do caranguejo pode substituir plástico

O investigador e professor doutorado Carson Meredith, que conduziu o estudo, disse que: “O único ponto de referência sobre o qual podemos comparar esta invenção é o PET ou  tereftalato de polietileno, um dos materiais mais comuns à base de petróleo presente nas embalagens transparentes que se encontram nas máquinas de venda automática ou nas garrafas de refrigerantes”.

E acrescentou: “O nosso material mostrou ter uma redução na permeabilidade de oxigénio de 67%, superior a algumas formas de PET, o que em teoria significa que poderá manter os alimentos frescos durante mais tempo”.

A celulose é o biopolímero natural mais comum à face da terra, seguido pela quitina, que pode ser encontrada em moluscos, insetos e em fungos.

Por: Júlio Dos Santos


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *