Autoridades desaconselham a compra de desodorizantes da marca Oasis


A Autoridade Nacional de Inspeção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA) destruiu recentemente, no Aterro Sanitário dos Mulenvos, município de Viana, em Luanda, três toneladas e meia de desodorizantes da marca “Oasis”, apreendidas há seis meses, por adulteração do prazo de validade.

Em violação às leis angolanas, a empresa “Nuvibrands-Comércio e Serviços, Limitada”, pertencente ao Nuvi Group, cujo proprietário é empresário português, Luís Vicente, com sede em Lisboa-Portugal, terá vendido, no mercado de consumo angolano, milhares de desodorizantes de marca “Oasis” com as datas de caducidades adulteradas.

Publicidade

Apurou-se que os referidos produtos, são impróprios para o consumo humano, e estão expirados desde 2019. Porém, ainda estão a ser comercializados nos mercados formal e informal em todo território nacional, por culpa da então Direcção Nacional de Inspecção do Comércio.

As autoridades aconselham a população a não comprar mais estes produtos que podem chegar a ser prejudicial para a a saúde.

Os produtos em causa são:

– Desodorizante OASIS Anti-transpirante Men Cool, 150 ML, Lote 726801 AA2, data de expiração 09/2019;

– Desodorizante OASIS Anti-transpirante Aloe Vera, 150 ML, Lote 710804 AA2, data de expiração 04/2019;

– Desodorizante OASIS Anti-transpirante Men Frescura, 150 ML, Lote 710804 AA2, data de expiração 04/2019;

– Desodorizante OASIS Anti-transpirante Pura Frescura, 150 ML, Lote 725102 CA2, data de expiração 09/2019

A Nuvibrands até ao momento ainda não se pronunciou sobre o tema.

 

Por: Alexandre Carvalho.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *