Angolano Cláudio Santos cria “Food Court LDA”, um novo conceito de restauração e lazer


O jovem angolano Cláudio Santos, criou recentemente um novo conceito de restauração e lazer, com o lançamento do “Food Court LDA”, um investimento imobiliário baseado na transformação de contentores marítimos, dedicados a restauração e entretenimento, projecto pioneiro que nasceu na Ilha de Luanda.

Com o objectivo de expandir o projecto para todas as províncias, Cláudio Santos traz neste novo conceito de espaço de lazer, 16 espaços de restauração (comidas e bebidas), independes e enquadrados numa área totalmente dedicada a crianças, com direito a uma escola de dança e zona de galeria de street art.

Publicidade

O projecto em questão, vem reforçar a visão de investimento e futuro que caracteriza este empresário, juntando-se a negócios do canal Horeca com a sua impressão digital como “Palatvs”, “Tiki Bar”, “Posto 12”, “Lookanda do Cruzeiro”, “The View” e espaços similares, de onde é sócio maioritário, sócio-gerente ou tem participação na estrutura societária.

“O meu objectivo é criar um movimento que consiga transparecer o investimento em Angola e por Angola, principalmente num período de crise, onde a diversificação da economia é palavra de ordem e real necessidade. O nosso país tem falta de espaços de restauração e lazer de qualidade, com uma oferta integrada e que permita a massificação desta oferta. Esse é o meu objectivo, criar produtos que atendam diferentes pessoas, diferentes classes sociais e que possam, simultaneamente, contribuir para o desenvolvimento da economia nacional, através dos investimentos e postos de trabalho directos e indirectos dos quais dependem centenas de famílias”, disse o empresário que adiantou ainda que “este conceito será ajustado à realidade de cada Província para que possamos rapidamente estar presentes a nível nacional, com obra feita”.

Importa ressaltar que o “Food Court LDA”, é responsável pela criação de 200 postos de trabalho directos e mais de 100 indirectos, conta com 99% de recursos humanos nacionais, apostando e valorizando o capital humano angolano. Após a abertura em Luanda, o projecto será expandido nas 18 províncias nacionais nos próximos 2 anos.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *