Yannick Afroman é o 1⁰ rapper a vencer o “Top dos Mais Queridos 2019”


O rapper angolano Yannick Afroman, venceu na noite de quinta-feira (26) de Setembro, a edição 2019 do Top dos Mais Queridos, com 24 por cento dos votos, numa promoção da Rádio Nacional de Angola (RNA) com o seu sucesso da música”Bakongo”, e após 36 anos, torna-se no primeiro artista do estilo Rap a conquistar o prémio num evento que teve lugar, no Centro de Convenções de Belas.

A música “Bakongo”, que já é um hino para os angolanos e não só, o rapper Yannick Afroman, conquistou um total de 24,3% dos votos, e o tornou um legítimo vencedor da 37ª edição do “Top dos Mais Queridos 2019”, durante a sua exibição que se fez acompanhar de Sam Mangwana, Socorro, Kyaku Kyadaff e Gilmário Vemba, recebeu fortes aplausos e assobios do público. Já para o segundo e terceiro lugares Bessa Teixeira e Gerilson Insrael, respectivamente.

Publicidade

Como prémio de ‘mais querido’, Yannick teve direito de um valor monetário de dois milhões de kwanzas, estatueta e um diploma de participação, cabendo a Gerilson Insrael o valor de oitocentos mil, enquanto que o ‘kota’ Bessa Texeira teve direito a um milhão e quinhentos mil kwanzas.

O single “Bakongo”, faz parte da sua mais nova obra discográfica intitulada “Outros Mundos”, lançada em Dezembro de 2018, um projeto com uma linha narrativa sobre problemas que assolam a sociedade e alguns temas novos diferentes dos que o Yannick já vinha nos acostumando há anos.

Em palco, Manuel Ngombo conhecido artisticamente por Yannick Afroman, manifestou-se surpreendido com a escolha dos ouvintes, e dedicou o prémio a todos os bakongos, sulanos e a todos angolanos que sempre acreditaram no seu potencial em especial a sua família e produtora “L&S”.

Disputaram o galardão 10 finalistas, nomeadamente Bessa Teixeira (Polombutão), Gerilson Israel (Casa Comigo), Preto Show (Pedra), Anna Joyce (Destino), Jojo Gouveia (Recado),  Rui Orlando (Prometo), Puto Português (Paciencia), Halison Paixão (Alma Gêmea) e Cef (É só Orar).

Ao prémio da “Prémio da Crítica”, distinção atribuída a uma música que, embora não tenha conseguido alto nível de popularidade, seja reconhecida pela qualidade da harmonia, melodia, arranjos, interpretação e letra, estritamente analisada por um júri especializado, foi dada ao cantor Júlio Gil, que levou uma estátua, certificado e um valor de 1 milhão e quinhentos mil Kwanzas.

 Este ano a organização do concurso homenageou os “Cantares da Terra”, numa verdadeira viagem ao cancioneiro popular angolano, e a valorização as línguas nacionais.

Com sala cheia, o evento foi prestigiado entre várias entidades, pela Ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus e o Ministro da Cultura de Cabo-Verde.

Vale relembrar que Pedrito venceu a primeira edição realizada em 1982, repetindo os feitos em 1984 e 1986.

Na segunda posição aparecem Jacinto Tchipa, que venceu em 1988, 1989, e Matias Damásio que conquistou o título em 2007 e 2013.

1982 – Artista individual – Pedrito

Banda musical – Jovens do Prenda

1983 – Artista individual – Proletário

Banda musical – Jovens do Prenda

1984 – Artista individual – Pedrito

Banda musical – Os Kiezos

1985 – Categoria individual – José Kafala

Banda musical – Os Kiezos

1986 – Pedrito

1987 – José Machado “Mamborró”

1988 – Jacinto Tchipa

1989 – Jacinto Tchipa

1990 – Os Pacíficos

1991 – Moniz de Almeida

De 1992 a 2000 não se realizou, devido ao conflito armado

2001 – Jovem Leão

2002 – Euclides da Lomba

2003 – Patrícia Faria

2004 – Sabina Henda

2005 – Bangão

2006 – Mig

2007 – Matias Damásio

2008 – Maya Cool

2009 – Yury da Cunha

2010 – Yola Semedo

2011 – Paulo Flores

2012 – Homenageados vencedores de todas as edições

2013 – Matias Damásio

2014 – Ary

2015- Yuri da Cunha

2016 – Ary

2017- Homenagem aos vencedores de todas as edições

2018- Kyaku Kyadaff

 2019- Yannick Afroman


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *