Quénia traz um concurso inovador de beleza para pessoas albinas


2 partilhas

Um concurso de beleza inovador para pessoas com albinismo, foi realizado na noite de sexta-feira, (30), de Novembro último, no Centro de Convenções Internacionais Queniano, que estimulou a confiança e a inclusão de pessoas que continuam a ser alvo de um estigma às vezes mortífero no continente africano. O Quénia escolheu o Mister e Miss Albinismo de África de Leste.

Quénia traz um concurso inovador de beleza para pessoas albinas

Um concurso para combater preconceitos, os talentos exibidos por vários participantes foi uma declaração de que as pessoas com albinismo são bonitas, pelo que a recém-coroada Miss Albinism East Africa 2018, Maryanne Muigai, emocionou-se depois de ter conquistado o título.

Outra participante, Elizabeth James, contou que foi forçada a mudar de escola quando criança, “quando as pessoas olhavam, apontavam para ela e começaram a segui-la a caminho de casa”.

O concurso que visa acabar com estes estigmas, foi intitulado “Aceite-me, inclua-me, eu posso”, onde Emmanuel Silas Shedrack, da Tanzânia, de 20 anos, e Maryanne Muigai, queniana de 19 anos, foram coroados vencedores. Ambos vão receber prémios monetários e serão embaixadores das organizações parceiras ao longo do próximo ano.

Para o presidente da Associação dos Albinos de Moçambique, William Tomás, este tipo de concurso é importante para a auto-estima das pessoas albinas que deveriam aparecer mais vezes em cena.

 

Por: Benedito Lurdes


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

2 partilhas

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *