Hadjalamar El Vaim fala das dificuldades que agência tem atravessado por conta da Covid-19: “O mercado caiu muito”


O CEO de uma das maiores agências de modelos e artistas de Angola, “Hadja Models”, Hadjalamar El Vaim falou abertamente em entrevista ao AngoRussia sobre as dificuldades que tem travessado o seu sector por conta da Covid-19, desde o mês de Março, tendo afirmado que mercado da moda actualmente sofreu um défice muito grande. 

“Afectou muito. A moda é muito dependente de eventos e com a proibição dos eventos por tempo indeterminado, basicamente o mercado caiu muito”, começou por dizer Hadjalmar.

Muitos são as agências de modelos, eventos de moda, estilistas entre outros, que depois de ser decretado o estado de emergência no país, viram-se obrigados a cancelaram seus eventos, bem como cortar os trabalhos dos  respectivos modelos, em cumprimento ao instrutivo da OMS e do Ministério da Saúde. Impossibilitados de trabalhar, o empresário fez saber que têm procurado se reinventar da melhor forma possível e adaptarem-se a nova realidade que o mundo atravessa.

Publicidade

“Está a ser difícil, temos feito várias reformas e nos reinventado de várias maneiras para não parar e a ver novos caminhos a percorrer de modos a nos adaptarmos a esta nova realidade”, disse.

Questionado sobre como o Estado angolano poderia intervir nesta situação que encontram-se desde Março, Hadjalmar disse que é preciso rever as obrigações fiscais de todas as empresas ligadas ao sector, fazendo menção do facto dos impostos neste período quase são impossíveis de serem cumpridos.

“Acho que deveriam rever as obrigações fiscais das empresas ligadas a eventos e a cultura no geral. Os impostos e obrigações fiscais neste momento são quase impossíveis de se cumprir a risca tendo em conta que praticamente estamos sem trabalhos desde Março”, lamentou.


Gostou? Partilhe com os teus amigos!

0 Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *