Fly Skuad fala de infância sofrida e revela que foi abandonado pelo pai


O rapper angolano Fly Squad, mentor do projecto “Reis do Rompimento Primeira Liga”,  abriu o seu coração na rubrica “Artigo 40º Podcast”, e falou da sua história de vida, tendo revelado que foi abandonado pelo seu progenitor. 

Convidado a participar da edição desta segunda-feira (25), de Janeiro, o rapper e apresentador que falou de vários assuntos desde a vida profissional, pessoal e seus problemas com ansiedade, deixou os internautas comovidos ao abordar sobre o seu primeiro emprego como garçom, em um restaurante de familia.

Publicidade

“Meu primeiro emprego foi num restaurante, e isto foi em 2009, no ano em que lancei a minha primeira e única Mix Tape. Eu olhava as damas em casa a darem no duro para manterem as contas em pé, os únicos homens da casa eram eu e o meu avô. Chegou uma altura que eu tentava encontrar um emprego para pagar as minhas contas, porque eu ia para o estúdio, estava sempre a pedir dinheiro a minha mãe que nunca trabalhou e tem as dificuldades que tem e arranjo um emprego como garçom. O meu problema de lidar com as pessoas, a ansiedade, era horrível para mim, era um sacrifício”, disse.

Fly Skaud relembrou que parte da sua história familiar diz muito sobre si, pois teve uma mãe doente e foi criado pela avó, após ter sido abandonado pelo pai, quando ainda era pequeno.

“Minha mãe é analfabeta, fez a 7ª classe depois tentou entrar no ensino primário a bem pouco tempo. Sou um filho bastardo, meu pai não quis me assumir e eu lembro-me que quando a minha mãe esteve grávida o meu avô a expulsou de casa, então foi difícil para minha mãe que padece de uma doença. Foi difícil para minha avó, que lutou muito, eu cresci a ver a minha mãe deitada a ter convulsão durante muitos anos. Eu era puto, e estou a ver a minha mãe ali a espumar pela boca, era sempre a minha avó lá. Minha avó é minha mãe. Eu olho as vezes as minhas filhas a olharem para mim, só sabem que o pai é esse e eu sabia que a minha mãe era aquela. Não quero ser injusto fazer aqui comentários mas era a minha avó, o pai e mãe de um lado para o outro, eu era supostamente o filho que não tinha de dar certo porque é a dinâmica da vida, meus cotas foram e deixaram-me ali. O dinheiro serviu para mandar o meu irmão mais velho e depois ele puxou o mais novo, eu era neto, não era propriamente a primeira opção e também não fui a última, mas foi exactamente assim”, explicou o apresentador.

Em outro momento, Fly Skuad fez saber que bebeu dessas experiências da vida, todas elas dramáticas, e tornou-se numa pessoa melhor.