Angelina Jolie defende que a violência sexual deve ser punida com mais dureza


Durante a conferência de Ministros da Defesa sobre as Missões de Paz da ONU, que decorreu nesta de quarta-feira (15), na cidade de Vancouver, no Canadá, a actriz e também activista social Angelina Jolie, falou sobre a violência sexual, afirmando que deve ser reconhecida como uma arma de guerra pela comunidade internacional. 

Com o objectivo de reivindicar  a punição com mais dureza dos autores do abuso sexual, Angelina Jolie, afirmou nesta quarta-feira (15), que a violência sexual está a ser usada como uma arma de guerra, uma vez que se parece mais barata do que uma bala e tem consequências duradouras, o que torna cruelmente efectiva.

Publicidade

Nesta senda, a actriz defende que esses crimes cometidos devem ser punidos com mais dureza, e todos serem incluídos nas negociações de paz, rejeitando a possibilidade de todos eles terem sido consequênciais inevitáveis das guerras.

A conferência de Vancouver é a maior reunião de ministros da Defesa dedicada às missões de paz da ONU.

 


Gostou? Partilhe com os teus amigos!